“Nossos corações podem estar partidos hoje, mas amanhã, temos que nos levantar”, diz Michelle Obama sobre decisão contra o aborto nos EUA

0
“Nossos corações podem estar partidos hoje, mas amanhã, temos que nos levantar”, diz Michelle Obama sobre decisão contra o aborto nos EUA
Foto: AFP PHOTO / DEMOCRATIC NATIONAL CONVENTION

Depois que a Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou a decisão que garante o direito legal às mulheres realizarem o aborto no país, nesta sexta-feira (24), a ex-primeira dama Michelle Obama se pronunciou sobre o caso nas redes sociais com um discurso digno de futura presidenta.

“Estou de coração partido hoje”, começou o texto e repetiu em em outros trechos, em lamentos pela decisão retrógada que afetará na maioria, mulheres afro-americanas e pobres.

No post, Michelle relembra período anterior a decisão “Roe versus Wade“, há 49 anos. “Estou com o coração partido que agora podemos estar destinados a aprender as dolorosas lições de um tempo antes de Roe se tornar lei. Uma época em que as mulheres corriam o risco de perder a vida fazendo abortos ilegais. Uma época em que o governo negava às mulheres o controle sobre suas funções reprodutivas, forçando-as a seguir em frente com gestações que não queriam e depois as abandonava quando seus bebês nasciam”. E reforça, “foi isso que nossas mães, avós e bisavós viveram, e agora estamos aqui novamente”.

Em meio a polêmica de uma criança de 11 anos que quase foi impedida de abortar depois de ser estuprada, em Santa Catarina, que virou notícia nos últimos dias, Michelle também fala sobre as meninas nos Estados Unidos e às famílias de baixa renda.

“Estou com o coração partido – pela adolescente, cheia de entusiasmo e promessa, que não será capaz de terminar a escola ou viver a vida que deseja porque seu estado controla suas decisões reprodutivas; para a mãe de uma gravidez inviável que agora é forçada a levar essa gravidez a termo; para os pais vendo o futuro de seus filhos evaporar diante de seus olhos; para os profissionais de saúde que não podem mais ajudá-los sem correr o risco de prisão”, ressalta.

Apesar da tristeza causada nas mulheres dos Estados Unidos, Michelle pede perseverança neste momento. “Muitas vezes, o cinismo ou a indiferença nos fazem sentir como se não tivéssemos o direito de tecer, mas isso não poderia estar mais longe da verdade. Quanto mais permitirmos que o pessimismo nos empurre ainda mais para o desamparo, menos teremos poder para ajudar a criar o tipo de país em que queremos viver”.

Ela alerta para que não desistam. “Esta terrível decisão terá consequências devastadoras, e deve ser um alerta, especialmente para os jovens que suportarão seu fardo, eu sei que este não é o futuro que você escolheu para sua geração – mas se você desistir agora, você herdará um país que não se parece com você ou com nenhum dos valores em que você acredita”.

Quase para finalizar o texto, Michelle convida todos a se unirem e se envolvendo em organizações estadounidenses que defendam as mulheres.”Se você é como eu e quer começar agora mesmo, eu o encorajo a canalizar sua frustração e raiva em ação, envolvendo-se. Organizações como Planned Parenthood e The United State of Women, entre muitas outras, têm recursos que você pode procurar se quiser ajudar outras pessoas ou se precisar de ajuda”.

E finaliza “Nossos corações podem estar partidos hoje, mas amanhã, temos que nos levantar e encontrar coragem para continuar trabalhando para criar a América mais justa que todos merecemos. Ainda temos muito o que lutar, defender, falar – e sabemos que podemos fazer isso juntos”.

Leia na íntegra:

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display