Na tarde dessa segunda-feira, 01 de junho, o YouTuber e influencer Felipe Neto fez uma publicação cobrando o jogador Neymar a se posicionar com relação aos protestos anti racistas que vem acontecendo pelo Brasil.

Em sua publicação, Felipe disse: “Vidas Negras importam. Mas nem todo mundo se importa” e publicou 3 imagens de tweets do Neymar onde ele aparece fazendo outras coisas durante o dia. As postagens incluíam o jogador brincando com o filho, fotos para seu público, mostrando seu terno novo e coisas do gênero.

Critiquei educadamente esse posicionamento e notei que muitas pessoas ficaram confusas quanto a isso, então vejo a necessidade desse artigo.

Antes de tudo gostaria de dizer que não vejo maldade na cobrança feita por Felipe e acredito que sua intenção tenha sido cobrar a maior celebridade brasileira nas redes sociais e não um homem negro. Mas raça é importante, como todos sabem, e é importante que falemos sobre isso.

Em segundo lugar é importante dizer também que eu não concordo com o silêncio de Neymar em um momento como esse. Como eu disse em minha resposta ao Felipe, Neymar é uma potência e sua voz nesse momento seria de EXTREMA ajuda, mas novamente entra a questão de raça.

Felipe Neto é um homem branco de grande visibilidade e usar de sua visibilidade para cobrar posicionamentos é importante, aplaudo esse trabalho. Porém, numa luta contra o racismo, o seu Lugar de Fala não é cobrar pessoas negras (mesmo que este seja o Neymar), e sim cobrar pessoas brancas.

Dentre todas as pessoas que não se pronunciaram sobre o caso, e houveram muitas, Felipe decidiu cobrar Neymar e, mesmo que seja por sua relevância e não cor da pele, isso passa uma mensagem muito errada quando pensamos de forma crítica sobre essa questão e nós não podemos deixar de falar e corrigir.

No post de Felipe, que foi apagado após ele ser corrigido por Cyberativistas negros, o número de pessoas ofendendo Neymar era gigante. Pessoas brancas.

Notem: pessoas brancas criticando, ofendendo e cobrando um homem negro em uma questão relativa ao racismo. Está claro o problema?

Quando falei sobre isso, fui criticado por pessoas brancas que me ofenderam e mandaram o famoso “descansa militante”, além de vários outros comentários insinuando que eu estava defendendo todas as merdas que o Neymar possa ter feito na vida.

Novamente, notem: a discussão sobre racismo se transformou em um show de horrores com brancos ofendendo pessoas negras e deslegitimando nosso posicionamento.

A discussão sobre o Lugar de Fala de pessoas brancas na luta contra o racismo permeia o reconhecimento de privilégios e a vazão das vozes negras para posicionamentos, mesmo que discordem de nós, quando falamos de racismo é importante que a NOSSA voz tenha o protagonismo. Se passarmos a permitir que pessoas brancas nos cobrem como e quando devemos fazer nossos questionamentos e promover nossas reivindicações nós, novamente, vamos perder o pouco espaço que temos conquistado.

Quero que entendam que a questão dessa discussão não é sobre o caráter de Neymar Jr., tampouco é sobre permitir que Felipe cobre posicionamentos importantes. A discussão é muito maior que isso. É sobre racismo, raça, brancos e negros, protagonismo, vozes e lutas.

Falar sobre racismo sem racializar os debates é um erro e racializar essa situação é também um ótimo exercício para que vocês, brancos, entendam que só vão compreender a nossa luta com a nossa voz em protagonismo.

Muitos podem falar que Neymar não se considera um homem negro por falas dele no passado, enquanto mais jovem. Não sei como está a consciência racial de Neymar, mas ele se considerar negro ou não, não muda nada.

Imaginem só se pudéssemos decidir se somos ou não vistos enquanto pessoas negras. Muitos não escolheriam sofrer racismo.

Neymar, apesar da pele mais clara, é lido como um homem negro. Dotado de privilégios por ser milionário e celebridade, mas ainda assim um homem negro. Pretendo falar sobre isso em outro texto, já que esse não é o foco, mas espero que tenham entendido.

Enfim, ao Felipe, espero que entenda o que disse em meus tweets e nesse texto. A vocês, leitores, espero que reflitam sobre o exercício que propus aqui. E ao Neymar venho, enquanto homem negro, cobrar que se posicione nesse momento tão importante para a nossa luta. Não é hora de ficar calado, Neymar. Fale, use do seu privilégio pelo seu povo, seu pai, sua irmã, seus amigos da favela e da Vila Belmiro, seus amigos negros jogadores… Por nós.

Comments