Quiabo é tudo de bom! Já dizia o provérbio africano “Quem come quiabo, não pega feitiço”

0
2309
Imagem: Pixabay


Quiabo é um dos vegetais mais usado pelo povo do santo em sua alimentação e oferendada a alguns Orixás.
Sempre foi uma comida obrigatória dos faraós no Egito, hoje ocupa lugar de destaque na cozinha ritual dos terreiros de candomblé. Nas comunidades terreiros tal verdura recebe tratamento especial, constituindo-se como base de várias comidas rituais, as chamadas comidas votivas dedicadas aos orixás em ocasiões especiais que visam reforçar, estreitar ou reconstruir os laços dos fiéis com o Sagrado, usado cru, cozido, aferventado, com ou sem sementes, temperado de várias formas de acordo com a receita da sua dinastia tem efeitos diversos, quando oferecido a determinados Orixás.

O quiabo também é um bom aliado do sistema digestivo! Acredite se quiser, mas a baba do quiabo também é ótima para os cabelos, proporcionando brilho e atuando como condicionador.

Esse vegetal é cheio de substâncias antioxidantes que combatem os radicais livres e ajudam a prevenir doenças, como o câncer inclusive. A vitamina C é um desses antioxidantes, ela estimula a produção de leucócitos, nossas células de defesa, por isso é tão importante para fortalecer nosso sistema imunológico. Fonte de vitamina A, que ajuda a proteger os olhos de doenças como degeneração macular e catarata. Essa mesma vitamina também faz um bem danado para a pele, ajudando a ter uma cicatrização mais rápida e prevenindo rugas e acne.

Outra substância importante presente no quiabo é o potássio, que equilibra o sódio do organismo e ajuda a relaxar os vasos sanguíneos e artérias, reduzindo a pressão arterial.

Famoso em receitas típicas brasileiras, como o frango com quiabo, da culinária mineira, e o baiano caruru, o camarão com quiabo, este vegetal também fica ótimo como acompanhamento de carnes, podendo ser acrescentado em saladas e refogados.

Além de tudo isso, o quiabo ainda tem boas quantidades de ácido fólico, bom para gestantes, e vitamina K, boa para os ossos. Por isso, se você torce o nariz, mas nunca nem mesmo experimentou…dê uma chance a esse verdinho!


Hoje trago uma receita que representa a África no Sul dos EUA.

O Gumbo é a sopa de quiabo de Lousiana: Uma referência da autêntica cozinha ancestral africana pelas Américas.


Gumbo (em português, gombô) é dos pratos mais marcantes da culinária Cajun da Louisiana (sul dos Estados Unidos). É um guisado ou uma sopa grossa, geralmente com vários tipos de carnes ou mariscos, que se come com arroz, podendo constituir uma refeição completa.
A palavra “gumbo” é de origem incerta, a fonte provável é a palavra Bantu “(ki)ngombo”, que significa quiabo (um dos ingredientes utilizados para engrossar o molho).

O principal ingrediente do Gumbo é o Quiabo, uma planta da família da malva (Malvaceae). Possui origem Africana, precisamente na Etiopia. Seu fruto, conhecido como quiabo, quingombô, gombô, quibombô, quigombó, quibombó, quimbombô, quingobó, quingombó e quingombô.

Gumbo: Aline Chermoula



Ingredientes:

100 gramas de manteiga
1/2 quilo de coxa e sobrecoxa de frango, sem osso, em cubos
Tempero cajun
1/2 pimentão verde picado
1/2 pimentão amarelo picado
1/2 pimentão vermelho picado
2 talos de salsão picados
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
2 folhas de louro
200 gramas de chouriço
1 xícara de farinha de trigo
1 lata de tomate pelado
1/2 litro de caldo de galinha
Sal e pimenta do reino
4 quiabos lavados e picados
2 colheres (chá) de tomilho picado
Cebolinha picada para finalizar

Preparo

Em uma panela grande, aqueça metade da manteiga e refogue o frango. Junte o tempero cajun e mantenha no fogo, mexendo, até que o frango fique ligeiramente dourado. Retire e reserve. Na mesma panela, aqueça o restante da manteiga e refogue os pimentões, o salsão, a cebola, o alho e as folhas de louro. Junte o chouriço e misture. Adicione a farinha de trigo aos poucos, mexendo, até incorporá-la bem até incorporá-la bem. Deixe cozinhar por cerca de cinco minutos ou até começar a soltar do fundo da panela. Acrescente o tomate pelado e o caldo de galinha. Misture e deixe ferver. Junte o frango reservado, e tempere com sal e pimenta. Tampe e deixe cozinhar por cerca de 30 minutos. Adicione o quiabo e cozinhe por mais cinco minutos. Retire do fogo e finalize com o tomilho e cebolinha picada. Sirva acompanhado de arroz branco.

Tenho certeza que você vai amar está receita. Afinal, já dizia o provérbio africano: “quem come quiabo, não pega feitiço “

Comments