Programação paralela a Ocupação Ilê Aiyê exalta a beleza da mulher negra em filme e oficinas de dança e turbante

0
2219

Em programação paralela, a Ocupação Ilê Aiyê, na próxima quarta-feira (12), às 20h, exibirá o documentário em média-metragem “Outra Face”, de Val Benvindo, produtora do Ilê Aiyê, que fez do filme seu trabalho de conclusão de curso da graduação em jornalismo, na Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Após a exibição, a diretora recebe no palco Arany Santana, apresentadora da Noite da Beleza Negra, para uma conversa com público sobre a condição da mulher negra. Já nos dias 15 e 16 (sábado e domingo), acontece às 14h a Oficina de Turbante, e às 16h a oficina de dança Celebre Seu Corpo.

A narrativa de Outra Face aborda a Noite da Beleza Negra e sua importância no resgate da autoestima e no empoderamento da mulher negra. O fio condutor dessa história é o depoimento das Deusas do Ébano, escolhidas em diferentes anos, que falam sobre as transformações implicadas pelo concurso em suas vidas.

A Noite da Beleza Negra é promovida há 38 anos pelo Ilê Aiyê, que tem 45 anos de trajetória. Para concorrer ao título de Deusa do Ébano, que representa o bloco até o próximo carnaval, “tem que ser negra, conhecer sua história e do Ilê, ter consciência de quem ela é, gostar de dançar e dançar bem e também ter um empoderamento muito forte”, como explica Dete Lima.

Outro depoimento presente na produção, que sintetiza a importância histórica do evento, é o de Arany Santana: “Com a instituição do concurso Beleza Negra do Ilê Aiyê, começa um processo de afirmação de identidade, da mulher negra em assumir seu padrão de beleza, se achar bonita, se achar rainha”, pontua ela, que é graduada em Letras pela UFBA, professora, atriz e militante do movimento negro.

Oficinas

Dando continuidade à programação voltada à exaltação da mulher negra, o Itaú Cultural realiza outras duas atividades dos dias 15 e 16 de dezembro (sábado e domingo). Nos dois dias, às 14h, acontece a Oficina de Turbante. Nela, a história dos turbantes do Ilê Aiyê é contada por Dete Lima e Catarina Lima, respectivamente diretora artística e produtora do bloco.

Durante a atividade, serão apresentadas algumas técnicas de montagem dos famosos turbantes do Ilê Aiyê. Os participantes receberão, ainda, um kit para confeccionarem os próprios turbantes depois da oficina, aperfeiçoando a técnica.

Às 16h, a dançarina Gabi Cabo Verde realiza a oficina de dança Celebre seu Corpo. A atividade possui como referência todas as danças de diásporas negras, como o dancehall, soca, afrobeats e funk.

O objetivo é desenvolver, por meio dos conceitos das danças africanas, a noção de corporeidade, com o intuito de aprimorar o auto-conhecimento, a auto-estima, a sociabilidade e o respeito ao próximo. Como pontua Gabi Cabo Verde, a dança é uma produção de conhecimento que vai além do entretenimento.

O Itaú Cultural fica na Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô. Para mais informações, acesse: www.itaucultural.org.br.

Comments

Comentários