Para Sociedade Brasileira de Dermatologia, pele negra é insensível ao sol

0
1459

Faltando poucas semanas para o verão, a Sociedade Brasileira de Dermatologia decidiu fazer uma postagem em seu Instagram sobre como cada tipo de pele, mais especificamente os seis fotótipos,  reagem ao sol.  O texto faz um destaque especial à diversidade de tons da pele dos brasileiros e brasileiras.

  Mesmo sendo um assunto de extrema importância, tratado com boa intenção por parte do órgão,  faltou cuidado ao descrever a pele negra, a do tipo mais retinto. De acordo com a postagem a pele negra “Nunca queima, é totalmente pigmentada e insensível ao sol.” 

Resolvi perguntar aos nossos leitores o que eles acharam da afirmação por meio de uma enquete em nosso perfil do Instagram. Dos 1080 participantes 94% discordaram da afirmação da SBD e algumas histórias vieram por meio de mensagens privadas.

“Eu cresci sem preocupação dos meus pais sobre usar filtro, eu realmente achava que não precisava, afinal não fazia diferença pra mim. Até o dia que fiquei uma tarde inteira sentada na beirada da piscina e queimei minhas pernas. Fui colocar uma calça jeans e senti tudo arder. Foi horrível! Depois disso nunca mais deixei de passar. Precisei sentir na pele, literalmente, que o sol me atinge também.”

“O sol mancha a nossa pele, atenua marcas de espinhas e outras cicatrizes.”

“Tenho pele escura, mas tá tive feridas nos lábios e ombros, por tomar sol sem proteção”. 

Para biomédica negra, SDB errou

A leitura da postagem pode dar a impressão, ao leitor menos atento, que a pele negra, por ser insensível ao sol e nunca queimar, não precisa de proteção. E a realidade é que todas as peles, até as mais escuras precisam de cuidados específicos em relação ao sol. 

“Apesar de possuir maior número de melanina, o que confere maior resistência ao sol, a pele negra precisa de protetor solar diário, como qualquer outro fotótipo”, explica Dra Ana Tassa, Biomédica Esteta. 

Ela detalha que tanto a pele negra quanto a pele mais clara, podem sofrer com melasma, rosácea, quelóide e temido melanona (câncer de pele). 

“Uma das consequências desse número alto de melanina é a tendência à hiperpigmentação inflamatória, aumentado assim a facilidade de causar manchas”, diz Tassa. “Por esse e outros motivos, é essencial o uso de Protetor Solar diário para proteger a pele negra dos raios dos sol. Apesar de resistente, a pele negra não está imune aos efeitos da radiação UV”. 

Os cabelos crespos e finos, os lábios grossos, mas com textura delicada, o corpo que tende a ressecar. Pessoas negras precisam incluir o protetor solar no seu cotidiano. 

Comments

Comentários