Se em uma estrutura racista, um corpo negro causa sentimentos de repulsa e ódio, veja essa raiva se multiplicar quando esse corpo é gordo e feminino.

Nas redes sociais não são raros os casos de mulheres negras e gordas, que assim como as magras, querem postar fotos com roupas com menos tecido, mas sofrem xingamentos apenas pelo volume maior das suas curvas.

Preta Gil, Preta Rara, a cantora Lizzo e tantas outras anônimas, recebem críticas por um corpo que não é público, pertence somente a elas mesmas, porém, homens e mulheres gordofóbicos se sentem no direito de adjetivá-los, como se fossem um objeto em exposição.

Conversando com a Preta Rara, ela mesmo fala da hiprocrisia da democracia racial. “Na frente falam que nos amam, que gostam de nós, da nossa cultura e cor, mas quando viram as costas, vem esses tipos de comentários de ‘preta raivosa, macaca, gorda baleia'”.

O caso de racismo sofrido pela atriz Cacau Protásio, que foi agredida com xingamentos que não valem a pena serem repetidos, porém, é importante reforçar que foram proferidos por membros do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, é uma prova de que até os que deveriam nos ver como cidadãs, visualizam no corpo feminino negro e gordo, motivos diversos para que ele seja odiado, desprezado e diminuído.

Cacau estava lá a trabalho, fazendo cenas para um filme,” Juntos e Enrolados”, mas se fosse uma vítima de um incêndio, por exemplo, imagine o risco de ser socorrida por bombeiros  gordofóbicos e racistas?

Quanto ativistas negras e gordas dizem que seu corpo é uma ato político, elas estão dizendo sobre como o seu simples existir é uma afronta à sociedade que é ainda apegada a um padrão branco e magro. A toxicidade contra essas mulheres resulta em depressão, auto-agressão, podendo chegar ao suicídio.

Nós como comunidade negra temos que discutir a gordofobia que está apagando o brilho de muitos dos nossos, incluindo aí homens, comunidade negra LBTQ+,  crianças e idosos negros.

O corpos negros e volumosos precisam de mais representatividade e o Mundo Negro apoia iniciativas com esse propósito.

 

 

 

Comments

Comentários