Netflix doa R$ 3 milhões para fundo que apoia profissionais negros do audiovisual

0
1264
Emicida durante a gravação do documentário Amarelo - Foto: Reprodução

Filmes e séries têm sido um grande acalanto para sociedade durante essa fase pandêmica que já comemorou seu primeiro aniversário e especificamente aqui no Brasil não tem data para acabar. Para a comunidade negra a carência de conteúdo representativo só não é maior que o prejuízo devastador que profissionais do audiovisual tiveram por conta da COVID-19. Ciente desse cenário e da importância da audiência negra para a plataforma, a Netflix fez uma doação histórica de R$ 3 milhões ao FAPAN (Fundo de Amparo aos Profissionais do Audiovisual Negro), beneficiando 875 profissionais autônomos e 275 representantes legais de empresas vocacionais.

“Em momentos como esse, nós, profissionais negros, fazemos o que sempre fizemos: nos reinventamos. Fundos como o FAPAN, apoiados por doações como a da Netflix, como anunciado hoje, são importantes para transformar vidas, apoiando tanto o profissional autônomo quanto os produtores negros. Esses produtores encabeçam as chamadas empresas vocacionadas, dedicadas à produção de conteúdo identitário”, explica Rodrigo Antonio, sócio-diretor da Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro que destaca que “ao fortalecermos as narrativas negras, passamos de personagens marcados por estereótipos a protagonistas das nossas próprias histórias. ​Cinema negro não é, nem deve ser tratado como um gênero”.

A iniciativa da Netflix faz parte ​de um fundo de 150 milhões de dólares da empresa​, que foi administrado em mais de 20 países, criado para a​poiar aqueles em maior dificuldade no setor de produção audiovisual em países onde a Netflix tem uma grande base de produção.

No ano passado também apoiou a comunidade negra estimulando a comunidade criativa por meio da doação de R$2 milhões que foram destinados à APAN, Instituto Querô, Instituto Criar e Instituto Nicho 54 para programas de mentoria, treinamento e capacitação de talentos negros em todo o Brasil.

Quem estiver interessado em participar do fundo anote na agenda: inscrições de projetos começam a partir do dia 21 de março, dia Dia Internacional contra a Discriminação Racial exclusivamente no site da Raio Agency (clique aqui para acessar)

Comments