Homenageado em festa pré-Grammy, o rapper Diddy exalta a excelência negra e denuncia discriminação

0
1210
Homenageado em festa pré-Grammy, o rapper Diddy exalta a excelência negra e denuncia discriminação no Grammy

Diddy Combs, foi homenageado na festa anual pré-Grammy de Clive Davis, a Roc Nation Brunch evento de gala pré-Grammy entregou a Diddy Combs o ‘Grammys Salute Industry Icons’, e em seu discurso, dedicou seu prêmio a artistas que sofreram desprezo pelo Grammy ao longo dos anos segundo ele, como Michael Jackson (Off the Wall), Prince (1999), Beyoncé (Lemonade), Missy Elliott (The Real World), Snoop Dogg (Doggystyle), Kanye West (Graduation) e Nas (Illmatic).

Sean John Combs, mais conhecido como Diddy, é um rapper e produtor musical norte-americano. Diddy é ator e proprietário de empreendimentos, dentro os quais a editora discográfica Bad Boy Records, as linhas de roupa Sean John e Sean por Sean Combs, uma produtora de filmes e uma cadeia de restaurantes.

Em seus 50 minutos de discurso Sean falou sobre o “elefante na sala”, a série de acusações feitas pela ex-presidente da premiação, Deborah Dugan, e foi direto ao ponto ao mencionar como o Grammy excluiu a música negra ao longo dos anos.

Leia também: Ex-presidente do Grammy abre processo contra a Academia, por assédio, racismo e misoginia

Mesmo honrado pela homenagem, Diddy disse estar vivendo um conflito “eu tenho que ser honesto. Nos últimos dias eu tenho vivido um conflito. Eu estou sendo honrado pela indústria que eu amo, essa família que eu amo, mas há um elefante na sala e não é apenas sobre o Grammy”, afirmou ele. “Há discriminação e injustiça em todo lugar em uma frequência alta. Mas há algo que eu preciso dizer ao Grammy e eu digo isso com amor porque vocês realmente precisam saber disso.”

Em seguida, Combs reconheceu que a discriminação não é exclusiva à música. “Está acontecendo no cinema, nos esportes, ao redor do mundo. E, por anos, nós permitimos que as instituições, que nunca tiveram nosso melhor interesse no coração, nos julguem. E isso para agora. Vocês têm 365 dias para arrumar essa merda. Nós precisamos que os artistas retomem o controle. Nós precisamos de transparência. Nós precisamos de diversidade. Essa é a sala que tem o poder de fazer a mudança. Precisa ser feito. Eles têm que fazer as mudanças por nós. Eles são uma organização sem fins lucrativos que deveria proteger a saúde da comunidade musical. É isso que diz no estatuto de sua missão. Essa é a verdade. Eles trabalham para nós”, apontou o rapper.

Por fim, Diddy Combs homenageou os artistas negros que não tiveram trabalhos icônicos reconhecidos pelo Grammy, ao terminando o discurso, recebeu aplausos de pé da plateia, que incluía Beyoncé e Jay-Z.

Em seu Instagram, Diddy, compartilhou o momento em que realiza um brinde e mais uma vez exalta a excelência negra “2020, certo?…Independe se estivéssemos em 2016, o jogo chegou ao topo agora podemos dizer que nenhum custo foi em vão. Estamos em uma cerimonia de bilionários negros, entende?

Estamos aqui juntos e continuaremos juntos estamos ficando cada vez mais estreitos e unidos, isso é o que importa. Excelência negra!”.

View this post on Instagram

THE GAME HAS BEEN ELEVATED!! ✊🏿

A post shared by Diddy (@diddy) on

Comments

Comentários