Espetáculo traz como tema poemas do angolano Antônio Agostinho Neto (Manguxi)

0
Espetáculo traz como tema poemas do angolano Antônio Agostinho Neto (Manguxi)

O ator angolano, Miguel António Kalahary, conhecido por “Blood“, decidiu criar um espetáculo a partir dos poemas de António Agostinho Neto.  Miguel faz parte de um grupo de pesquisa de poemas de autores brasileiros, entre eles Carlos Drummond de Andrade e Vinícius de Moraes, tomou para si o desafio de trabalhar com poesia angolana. A peça está em cartaz no espaço Terreiro Contemporâneo, na Rua Carlos de Carvalho, n° 53 – Centro, Rio de Janeiro.

Após a seleção dos poemas, convidou o diretor Gatto Larsen, que dirigiu a peça com o proposito de fazer algo diferente de um simples recital de poesias, criando pequenas cenas, todas em preto e branco, algumas estritamente corporais que dialogam com o teatro físico, outras que poderiam ser recortes de sequências de filmes e se utilizando dos parcos recursos que a sala oferece buscando soluções imagéticas onde o foco é a poesia.

No espetáculo, 16 poemas de Agostinho Neto trazem ao público, histórias de amor, exílio, racismo, esperança, superação, guerra, preconceito e lembranças de Infância. Poemas escritos nas décadas dos anos 60 e 70 do século XX, sobre fatos que hoje, 50 anos depois e já no século XXI, tornam se atuais. Os poemas, trazem no seu bojo, ânsias que dividem o homem Agostinho Neto entre a esperança de dias melhores e vontade de desistir por causa dos macetes da política, racismo, lutas e guerra.

Com um roteiro fragmentado que ressalta o amor como base da construção poética do António Agostinho Neto sendo esse amor atravessado pela guerra, pela luta pelos direitos humanos, pelas perseguições, pelas prisões e exílio e principalmente pela descolonização da sua pátria.

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display