“Pode ser nossa última eleição!” : rappers fazem manifesto contra o candidato militar

0
3171

Faltam poucos dias para a eleição mais importante da História do Brasil. Isso por que o candidato que está à frente das pesquisas, representa uma ameaça aos direitos de quem ainda luta para fazê-los valer,  como negros e comunidade LGBT, além das mulheres.

A música popular, sobretudo o rap juntamente com o Hip-Hop, são instrumentos de manifestação social, trazendo por meio de suas letras, uma realidade que grupos mais privilégiados nem sonhava que existia. Violência policial, pobreza, descaso do Governo, tráfico de drogas, são alguns dos temas trazidos por músicos pretos e periféricos, que sentem que sua vida pessoal e seus negócios podem piorar , caso Haddad não seja o candidato eleito.

Emicida, Mano Brown, Tássia Reis, Rico Dalassam, Dexter, Rincon Sapiência, são alguns da lista dos rappers mais populares do Brasil que participam do vídeo-manifesto contra o candidato à presidência pelo PSL. 

“Muitos de vocês não sabem o que não é o direito de se expressar”, alerta Thaíde. 

“Devido à rejeição de um partido, votar em branco ou anular voto acaba sendo a opção para algumas pessoas, mas isso é perigoso”, destaca Kamau. 

“O amor emanado pelo Hip Hop, deu força para pretos, pobres, mulheres e a comunidade LGBT”, detalha Rico Dalasam no vídeo.

O site, Rap pela Democracia hospeda o vídeo manifesto e um texto que já conta com com quase 2 mil assinaturas ( até o fechamento deste texto).

Lá eles esclarecem os rumores de que todos os músicos se enriquecem com a Lei Rouanet. “Você sabia que entre os maiores beneficiados estão a T4F Entretenimento S.A. e a (16,4 milhões) e a Fundação Roberto Marinho (10,9 milhões)? Por isso, não se deixe enganar com falsas acusações, que têm encontrado um terreno fértil na internet, particularmente aplicativos de mensagem como o Whatsapp?”, detalha o texto. 

Confira o histórico manifesto de rappers brasileiros pela democracia  na íntegra no site Rap Pela Democracia. 

Comments

Comentários