Nunca é tarde para reverenciar nossos idosos.  Alguém como a Dona Diva Guimarães, 80 anos, professora aposentada que ficou conhecida durante uma participação na mesa de Lázaro Ramos durante Flip de 2017, é uma cidadã brasileira de alto calibre. Inteligente e altiva ela tem um orgulho em relação a sua negritude o que é muito raro para quem nasceu em uma geração onde a escravidão, apesar de abolida era muito presente.  

A queridinha do Lazinho e de todos nós é a capa da revista Gol do mês agosto. Na entrevista ao jornalista Décio Galina, ela fala de sua infância sofrida, onde foi vítima de racismo e abuso nas mãos das freiras de um colégio interno em São Paulo.  

Dona Diva diz que a saúde está em dia e que quer viver muito apesar de não ver com muito agrado a maneira com que os jovens de hoje trataram os idosos. “O pior preconceito com uma pessoa velha é achar que ela é idiota. Escuto: ‘Esses velhos só incomodam, por que não ficam em casa?’” 

A professora aposentada tem fala mansa, quer dedicar seu tempo para lutar pela educação e igualdade e a literatura, seu maior prazer, virou uma grande aliada.   “Sempre fui rebelde e busquei vingança por todo o preconceito que os negros, os índios e os pobres sofriam, e sofrem, neste país. Queria sair arrebentando tudo, mas o correr dos anos ensina que o grande desafio da terceira idade é justamente não perder a cabeça; não perder a fé em si mesmo. Temos que aproveitar a vida com o que mais gostamos. No meu caso, é a leitura. Sou fã de Jorge Amado, Darcy Ribeiro e José Mauro Vasconcelos. Ler é como se eu estivesse fazendo um exercício físico. Às vezes, atravesso a madrugada abraçada a um livro; nunca durmo antes da meia-noite.” 

O conteúdo da revista com a entrevista com a dona Diva, está disponível em PDF clique aqui para ler https://www.voegol.com.br/pt/servicos-site/Magazine/GOL_209_Completa.pdf 

Comments

Comentários