Danças de seis orixás femininas e da Pombagira Colondina são retratadas em animações feitas em aquarela e em publicação

0
Danças de seis orixás femininas e da Pombagira Colondina são retratadas em animações feitas em aquarela e em publicação
Foto: Reprodução/Instagram

No dia 17 de setembro, a partir de 12h, a artista audiovisual Ilana Paterman Brasil lança ‘Água de cor: as danças das mulheres da Nação Ijexá‘, um projeto artístico-documental em animação das danças das Iabás – orixás femininas – e da Colondina. Contemplado pelo Rumos Itaú Cultural 2019-2020, ele é composto por animações feitas em rotoscopia artesanal a partir de registros videográficos, utilizando a aquarela como ferramenta criativa, e uma publicação.

O evento, quando também será oferecida uma feijoada, acontece no próprio terreiro Corte Real da Nação Ijexá, liderado por Pai Zezito de Oxum e localizado em Belford Roxo, Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. As obras e curiosidades sobre o processo de criação do trabalho ficam acessíveis em https://www.ilanapatermanbrasil.com/aguadecor.

O projeto

‘Água de cor: as danças das mulheres da Nação Ijexá’ surge com o intuito de comunicar os saberes das danças femininas de terreiro, que traduzem em movimentos os mitos iorubás, atualizando-se nos corpos e seguindo de forma fluida os toques dos atabaques – mito, som e gesto tornam-se uma coisa só. O foco do projeto está nas mulheres. São seis as principais iabás: Oxum, Obá, Euá, Nanã, Iemanjá e Iansã. Soma-se a elas a Colondina – uma Pombagira, entidade que traz nos gestos inúmeras possibilidades de manifestação do feminino.

“São referências essenciais em um momento de transformação para as mulheres, que buscam saídas para desenvolver potências e desejos”, explica Ilana. “Os arquétipos femininos iorubás resistiram à barbárie civilizatória e ao domínio colonial, preservando outras formas de ser e de agir enquanto mulher na sociedade.”

Técnica de animação

A rotoscopia permite que o movimento se revele ao transformar vídeo em desenho – o corpo dançante, em traços e cores, torna-se o único elemento na tela, direcionando a comunicação expressiva dos gestos. A utilização do processo artesanal, com aquarela, surge como consequência das vivências em terreiros: o fazer manual e o contato direto com materiais naturais inspiraram a escolha por essa linguagem. Além disso, a água – base da aquarela – é ritualmente associada às mulheres.

Cada animação é composta por centenas de desenhos que, quadro a quadro, recriam os gestos expressivos das filhas de Pai Zezito de Oxum, líder da Corte Real da Nação Ijexá. Silvia, Mara, Ângela, Rosani, Eunice, Solange e Solemar dançaram para duas câmeras, em uma manhã de agosto de 2021, e tornaram-se aquarelas. Estes desenhos foram fotografados em diferentes chãos e, assim, viraram movimento novamente.

O livro

A publicação apresenta uma seleção de desenhos de cada dança, permitindo a apreciação de aquarelas em diferentes escalas, o que inclui uma série de 36 desses desenhos lado a lado, a fim de visualizar os passos das animações. O livro também traz textos de Ilana, nos quais ela compartilha histórias e magias do processo de realização deste trabalho com Ricardo Alves, Ogan da Oxum de Pai Zezito, e o historiador Luiz Antonio Simas.

Curiosidades

Pai Zezito veio de Salvador, nos anos 1950, fundou o primeiro terreiro da nação Ijexá em solo fluminense. O termo “nação” está relacionado às origens das tradições de uma casa, remanescente de diferentes regiões africanas. Ijexá é o nome das terras onde corre o rio Oxum. Os Ijexás são intitulados de “Povo das Águas”.

Ilana Paterman Brasil é artista, pesquisadora e pertencente ao terreiro Corte Real da Nação Ijexá. Realizou projetos anteriores de forma similar, porém focados em retratar personalidades do Candomblé. Água de Cor é um projeto inédito de comunicação, documentação e preservação de danças e gestos das Iabás, cada uma carregando características de diferentes arquétipos femininos, presentificadas nos próprios movimentos.

SERVIÇO:

Rumos Itaú Cultural 2019-2020

Água de cor: as danças das mulheres da Nação Ijexá

Dia 17 de setembro, a partir de 12h

Exibição das animações, lançamento da publicação e feijoada

Local: Culto Afro Corte Real da Nação Ijexá

Rua Nossa Senhora do Líbano, 16, Parque Amorim

Belford Roxo (RJ)

Entrada gratuita

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display