Baiana Nara Couto faz show de lançamento de ‘Contipurânia’, no Sesc Belenzinho

0
355

Neste sábado (15), o Sesc Belenzinho receberá a artista baiana Nara Couto, para o lançamento do show Contipurânia. A artista, que nasceu no bairro do Curuzu, em Salvador, começou a pesquisar, ainda adolescente, sobre a relação da musicalidade baiana com o continente africano. Influenciada pelas batidas do bloco afro Ilê Aiyê, se especializou em dança afro-contemporânea.

View this post on Instagram

Vocês estão sentindo?😌🌿 Meu coração esta ficando mais emocionado com todos os preparativos desse dia lindo que é a festa de Yemanja. TENHO TRÊS INFORMAÇÕES SOBRE ESSE DIA QUE COMECARÁ NO DIA 2 DE FEVEREIRO AS 00H01.💎 Todos os anos faço o presente para saudarmos com todo respeito e amor do mundo Yemanja e Oxum na minha residência de Salvador, esse ano se repete, vai ter esse encontro ancestral e espiritual. Quem quiser participar entra em contato comigo inbox. É um momento sagrado que não tem registro de fotos ou vídeos, é o momento de estarmos juntos saudando as águas.💙 As 00h1 do dia 2 de Fevereiro estará nas redes sociais uma linda homenagem que tive o amor de fazer a direção artistica, registro de video e edição de @rafaelzuanny e @edgarazevedo, Maquiagem de @albertoalves e figurino de @cassiocaiazzo. O spoiler é essa imagem que vocês estão vendo!💙 E pra terminar o dia teremos um show lindo em homenagem as águas (Yemanja e Oxum) com um repertório popular para saudarmos juntxs no por do sol de frente para o mar lá no @lalacasadearte Meus convidados para essa celebração são: a linda e preta, irmas das águas o maestro @maestroubiratanmarques, o trompetista e cantor @mateusaleluiarodrigues e a percussionista @nannysantos__ vai ser lindo! Ah! Esse show tem direção artistica minha.🥰 Desejo que vocês celebrem esse dia com todo o amor que ela merece💙 #2defevereiro #Yemanja #Omi #NaraCouto #LindaEpreta

A post shared by Nara Couto💎 (@nara_couto) on

 

Nara pesquisa culturas africanas e afro-brasileiras, e desenvolve um trabalho de investigação musical com base nos elementos culturais presentes na oralidade, fundidos às influências tecnológicas presentes na música contemporânea. Com Letieres Leite na direção musical, e Elisio Lopes Jr. na direção artística, o show Contipurânia rejeita o caminho de uma única história contada sobre a sua ancestralidade e identidade, com referência à cultura oral, a forma que os antepassados africanos, quando chegaram ao Brasil, pronunciavam as palavras portuguesas.

“O projeto Contipurânia leva um nome que faz menção a reverência aos mais sábios, junto com o diálogo com o contemporâneo. Feito com base em uma pesquisa musical, a essência o trabalho leva o vislumbre de força e poder negro, junto com os elementos culturais fundidos na oralidade em destaque com a musicalidade”, explica Nara.

 

 

Comments

Comentários