A beleza do crespo perfeito de Allan enfureceu os racistas

0
4113
O bailarino e modelo Allan Bastos - Foto: Reprodução Instagram

As pessoas que têm cabelo crespo, não o cacheado, o crespo que tem muito volume e pouca definição, são as que mais sofrem com piadas racistas sobre seus penteados. É lastimável constatar que a nova geração e pessoas como Allan Bastos, modelo e bailarino de 22 anos, ainda tenham que lidar com agressões por valorizarem aspectos naturais da sua beleza.

https://www.instagram.com/p/B_qi9WWJA-d/

No caso do Allan, tudo começou quando ele fez uma postagem no Twitter para comemorar o crescimento da sua coroa crespa que levou 3 anos para ficar grande e volumosa.

O post dele viralizou e o jovem foi parar até na Vogue Brasil. O preço da exposição foi que o modelo, que também é bailarino, começou a receber diversas mensagens racistas, com fotos, desenhos, montagens com seu rosto que zombavam seu cabelo crespo. O tom do conteúdo criminoso era de deboche e intimidação.

Basttos ciente dos seus direitos, denunciou as mensagens . “Eu fiz a denúncia pela Internet, entrei em contato com uma advogada e agora tenho que esperar 48 horas para eles poderem validar meu boletim de ocorrência e eu poder ir pessoalmente [ à delegacia ]”, detalhou o modelo em sua conta no Instagram onde mostrou estar angustiado com o grande número de comentários de perfis fakes em suas fotos.

O desabafo de Allan por conta dos ataques também viralizou e o bailarino recebeu uma onda de amor e apoio vindo de antigos e novos seguidores, incluindo gente famosa como as atrizes Taís Araújo e Jennifer Dias.

O badalado coletivo Potências Negras também declarou apoio ao jovem modelo.

Mexeu com um, mexeu com todos nós.

Comments