7 Monumentos negros incríveis que você precisa conhecer

0
2170

Muito se tem discutido sobre a derrubada de monumentos escravagistas e que referenciam algumas das figuras mais tenebrosas na história do nosso país e do mundo, por outro lado, os diversos movimentos negros ao longo dos anos tem lutado para difundir narrativas pretas sempre tão invisibilizadas, deturpadas e silenciadas. Pensando nisso separei alguns monumentos grandiosos e pouco conhecidos que valorizam e enfatizam a trajetória de luta e resistência do povo preto e nos conectam com a nossa memória. Segue a lista:

Monumento da Renascença Africana, em Dacar, Senegal

Com 49 metros de altura, este é um dos mais visitados na África. Foi erguido para homenagear os 50 anos da independências do Senegal em 2010. Maior que o Cristo Redentor (38 metros), custou 27 milhões de dólares e é um dos maiores do monumentos do mundo perdendo apenas para estátuas como o Buda Chinês e a Estátua da Liberdade. A obra africana de bronze foi desenhada pelo arquiteto senegalês Pierre Goudiaby, mas sua construção também gerou algumas controvérsias, muitos consideraram o custo da estátua um exagero em um país com muitas demandas importantes, já outros senegaleses apoiaram a empreitada, defendendo que ela simboliza a ascensão da África em meio “à intolerância e ao racismo”.

Estátua de Gaspar Yanga, Yanga, México

El Yanga' – Yanga, Mexico - Atlas Obscura

A Estátua é uma homenagem a Gaspar Yanga, líder de uma revolta contra a Espanha colonial, ele se rebelou contra a escravidão e fundou uma comunidade agrícola em 1570, após uma série de batalhas a cidade de San Lorenzo de Los Negros (mais tarde renomeada para Yanga) foi reconhecida oficialmente pela Espanha em 1618. Todos os anos, em agosto, os habitantes de Yanga realizam uma celebração em comemoração a derrota da Espanha e criação da primeira cidade para negros livres nas Américas.

Museu Memorial ACTe , Point à Pitre, Ilhas Guadalupe

Memorial ACTe, o dever da memória

Inaugurado em maio de 2015, o Centro Caribenho de expressões e de memória do comércio escravagista é o edifício referência de Pointe à Pitre, e o maior do mundo. O Complexo não é apenas um memorial em lembrança do tráfico de negros entre África e Caribe, mas um Centro de Estudos sobe a história da escravidão e dos direitos humanos. Sua fachada é recoberta por placas de quartzo negro, representando os milhões de almas que foram vítimas da escravidão.

Memorial Nelson Mandela, Howick, África do Sul

O artista sul-africano Marco Cianfanelli desenvolveu um memorial para reconhecer o aniversário de 50 anos do ativista, político e líder histórico da África do Sul, Nelson Madela. O Monumento é composto de 50 colunas de aço com 9 metros de altura, ancoradas em concreto. As 50 colunas representam os 50 anos desde que Mandela foi preso político por se opor ao apartheid.

Desenkadena (Tula Monument), Curaçao

O Monumento foi feito pelo artista visual Nel Simon, “Desenkadena” significa desacorrentado. Ele está instalado em homenagem a Tula Regard, lider de uma Revolução de Escravos na ilha em 1795.

Zumbi dos palmares, Salvador, Brasil

Uma homenagem ao líder do Quilombo dos Palmares, líder da fuga de escravos em direção a Serra da Barriga, em Alagoas. Construído pela artista plástica Márcia Magno, a estátua de bronze de 2,2 metros de altura pesa cerca de 300 quilos, e fica localizada na Praça da Sé, Centro Histórico de Salvador, sendo a primeira estátua a retratar Zumbi de corpo inteiro. Em 2019 parte da lança da estátua foi furtada e segundo a prefeitura o restauro da peça custou cerca de 38 mil reais.

Canção da Redenção, Kingston, Jamaica

Inspirado pela composição de Bob Marley, está localizado na capital da Jamaica, Kingston, na área central do Parque da Emancipação inaugurado em 2013, mostra um casal negro olhando para o céu representando a emancipação negra frente aos horrores da escravidão. A artista se baseou nas palavras contidas na música: “Emancipem-se da escravidão mental, ninguém além de nós mesmos pode libertar nossas mentes”.

Dois artigos serviram de inspiração para essa curadoria, você pode conferir aqui e aqui

Comments