5 melhores momentos do Big Brother Brasil na visão de Tia Má

0
1193
Foto: Reprodução/Internet - Colagem Mundo Negro

O Big Brother Brasil 21 já está chegando em sua reta final, a edição com o maior número de participantes pretos da história do programa teve momentos muito marcantes, que foram comentados por todo o Brasil. 

E nessa edição, além dos 9 participantes pretos confinados nós conseguimos analisar os acontecimentos da casa mais vigiada do Brasil por outras perspectivas, com as incríveis análises da jornalista Maíra Azevedo. 

Leia mais: Finalmente o Black Brother Brasil

Tia Má fez o papel de comentarista das redes tão bem que foi convidada pelo diretor do programa para comentar oficialmente em um programa de TV exclusivo sobre o reality.

E para quem perdeu as análises e problematizações de Tia Má, nós separamos o Top 5 melhores momentos do Big Brother Brasil na visão de Tia Má

5- Lucas Penteado e a autoestima do homem negro

A primeira grande treta da casa! O episódio envolvendo o ator Lucas Penteado e a sister Kerline movimentou muito o jogo lá dentro, e nos fez refletir aqui fora! Tia Má fez uma análise sobre a situação e nos mostrou o quanto a autoestima de jovens negros como Lucas ainda estão fragilizadas por traumas causados pelo racismo.

Relembre o caso

“Existe um processo de idolatração e exaltação da imagem de pessoas brancas. Nem tudo é racism0, mas muitas coisas perpassam por um histórico de opressão, onde a imagem da pessoa negra foi construída a partir do olhar da submissão.
Por isso o episódio entre #lucas e #kerline no #bbb rendeu tanto.”
Analisou a jornalista

4- Nego Di leva todos os pretos para o VIP

Contraditoriamente, tiveram poucos momentos de acalento para a comunidade negra fã do programa nessa edição e o episódio em que Nego Di leva todos os pretos da casa para desfrutar da área “VIP” do programa, foi um deles. O assunto foi um dos mais comentados no Twitter, memes foram inventados e o público preto conseguiu por 1 episódio, se entreter. Tia Má analisou bem a atitude do humorista e aproveitou para questionar a branquitude que denunciou o “racismo reverso”

“Já tem gente classificando a decisão de “racismo reverso” e aqueles que questionam: “E se fosse o contrário?” … A questão gente é que o fato de ter muita gente em um espaço verdadeiramente de privilégios causa estranheza. É uma novidade ver tanto preto junto e além disso, em uma posição confortável. Agora, vamos aos questionamentos. A ausência de gente preta não causa comoção, nem indignação a não ser na gente mesmo. Em 21 anos de #bbb esse é o que tem o maior número de negros, portanto sempre foi ao contrário.“ pontuou a jornalista 

3- Gilberto, Lucas e a representatividade negra x  LGBT

Lucas Penteado e Gil do Vigor com certeza foram um dos protagonistas da edição, a saída do ator foi resultado de uma pressão muito grande em cima de um ato lindo. Lucas e Gil trocaram o beijo mais falado da edição e sem se importar com olhares externos trocaram carinhos e se divertiram durante ao que seria última festa do ator na casa. Tia Má comentou a situação e nos fez entender o quanto o beijo foi além de um simples beijo.

“O beijo fabuloso entre @gilnogueiraofc e @lucaskokapenteado, o primeiro homoafetivo entre dois homens, em todas as edições nos leva a entender a importância de discutir sobre afetos, sexualidades e como isso perpassa no debate racial.

É preciso lembrar que, a LETRA B NA SIGLA LGBT significa BISSEXUAL e ninguém fora do casal pode questionar a legitimidade da atração.” afirmou Tia Má

2- Carta aberta para Lumena Aleluia

Com um vídeo no seu IGTV, Tia Má conseguiu dizer tudo aquilo que a comunidade preta estava sentindo ao assistir a performance da psicóloga Lumena Aleluia na casa. Lumena entrou imunizada, como uma das favoritas, mas teve atitudes que foram completamente contrárias as nossas indevidas idealizações. Tia Má conseguiu expressar nosso sentimento de decepção em relação as atitudes de Lumena com seus semelhantes de forma pontual e sincera:

“A sua apresentação foi marcada por sorrisos e uma força sem definição. Que lindo aquilo! Em poucos dias nos deparamos com sua militância ferrenha e sempre afiada. Algumas pessoas se surpreenderam, outras não entenderam, mas tinha uma galera vibrando por cada palavra que você proferia. Você tem sempre um discurso contundente, as pessoas param para te ouvir. Isso é uma vitória. Mulheres pretas são silenciadas, você consegue ser escutada. Mas, em apenas uma semana você se perdeu”, lamentou a jornalista.

1 –Gil do Vigor e a busca pela aceitação

O participante Gilberto, que embora seja um dos participantes mais animados e populares da edição já passou por tensos momentos no reality, e muito desses envolvem sua baixa autoestima e uma busca incessante por aprovação. Gil, que está finalmente [na pressão de um reality show] podendo ser ele mesmo e se contemplar sofre antecipadamente ao pensar em uma possível rejeição do público. Tia Má falou sobre essa busca por aceitação e como ela afeta pessoas negras

“A gente percebe o medo de ser rejeitado. Me preocupo com o emocional de Gil! Pq eu sinto nele uma tensão e um desespero de agradar sempre! Me identifico com isso. Para não ficar de fora das rodinhas, muitas vezes a gente topa ser quem vai fazer a piada, levar os comes e bebes. A gente quer tá dentro. E isso nos custa caro demais. O medo de errar é adoecedor!”

 EXTRA

Camilla de Lucas e a pluralidade de mulheres negras

Assim como foi com a vencedora da última edição, Thelma Assis, os telespectadores esperam que a participante Camilla de Lucas aja conforme eles esperam, em uma situação em que Camilla foi contra um outro preto, a crucificara. Essa exigência de posicionamentos, e as limitações são injustas e cruéis, sem lembrar que acima de tudo são pessoas diferentes com atitudes, jeitos e posicionamentos próprios. Tia Má relembrou essa cobrança que cai sob mulheres negras e deixou um recado: Somos várias!

“O #bbb retrata um pouco esse aspecto das nossas diferenças. Esperam que todas nós tenhamos o mesmo comportamento e opiniões e isso nega a nossa humanidade. Da mesma forma que é adoecedor quando esperam que a gente responda pelas posturas individuais das outras. NÃO SOMOS UMA COISA SÓ!

E esse olhar uniformizador também pode partir das nossas semelhantes, exatamente porque fazemos parte dessa sociedade que aniquila nossas especificidades. O choro de @camilladelucas é o grito de quem sabe que é ÚNICA. Que a gente siga sendo esse coletivo de DIFERENÇAS!”

Comments