Zezé Motta ganha mostra com seus principais filmes para celebrar aniversário e 50 anos de carreira

0
Zezé Motta ganha mostra com seus principais filmes para celebrar aniversário e 50 anos de carreira
Foto: Reprodução / Instagram.

O clássico Xica da Silva e o documentário Zezé Motta, la femme enchantée são destaques da seleção que enaltece os mais 50 anos de carreira dessa artista referência para a cultura brasileira e comemora o seu aniversário no dia 27.  

A partir do dia 24 de junho (sexta-feira), a plataforma de streaming Itaú Cultural Play inaugura uma mostra dedicada aos 50 anos de carreira de Zezé Motta e celebra o aniversário que ela completa no dia 27 deste mês. Com curadoria de sua filha Carla Barbosa, foram selecionadas quatro obras representativas da filmografia da atriz, entre elas o clássico Xica da Silva (1976), de Carlos Diegues, e Zezé Mottala femme enchantée (1987), documentário da cineasta francesa Ariel de Bigault sobre a vida e a obra da artista. A seleção é completada com Anjos da noite (1987), de Wilson Barros, e Vai trabalhar vagabundo (1974), de Hugo Carvana. 

O acesso à plataforma de streaming Itaú Cultural Play é gratuito e acessível para dispositivos móveis IOS e Android, e pode ser acessada pelo site www.itauculturalplay.com.br

Zezé Motta em Xica da Silva.

Com mais de cinco décadas de carreira, a cantora e atriz Zezé Motta é considerada uma referência para a cultura do país. Artista em movimento, desde os anos de 1970, a sua jornada militante contra o racismo encontrou no cinema um lugar de afirmação. Comprova-se em Xica da Silva, de Carlos Diegues, exibido no Brasil e no exterior projetando a carreira de Zezé além das fronteiras.

Baseado no romance homônimo de João Felício dos Santos, Xica da Silva conta a história real da protagonista que dá nome ao filme, mulher negra escravizada e alforriada, que ganhou fama, fortuna e amor nos braços de um representante da Coroa Portuguesa. Eram os tempos da segunda metade do século XVIII, durante o ciclo do ouro em Minas Gerais, e ela se tornou a Rainha do Diamante, para escândalo da elite branca. A icônica canção de Jorge Ben Jor, música tema do filme, cria o ambiente perfeito para o reinado da mulher que, como a própria letra diz, passou de escrava e amante à mulher rica e invejada, temida e odiada. 

Com direção de Ariel de Bigault, cineasta francesa cuja cinematografia é dedicada às culturas portuguesa, brasileira e africana, o documentário Zezé Motta, la femme enchantée navega por sua vida e obra. Com depoimentos dela própria e de artistas que a acompanharam durante a sua carreira, o filme reúne trechos de musicais e de trabalhos da artista em filmes como Quilombo (1984) e o mencionado Xica da Silva, ambos do diretor Carlos Diegues. 

Zezé Motta, la femme enchantée . Foto: Reprodução.

O documentário integra uma série francesa chamada Eclats Noirs du Samba (Estilhaços Negros do Samba, em tradução livre), que destaca a influência da cultura negra na música brasileira. Rodado em São Paulo e Salvador na década de 1980, traz imagens das comunidades periféricas de ambas as cidades, personagens anônimos e depoimentos. Também foram homenageados nesta série da francesa, outros músicos como Gilberto Gil, Martinho da Vila, Paulo Moura e grupos da música popular brasileira.   

Anjos da Noite, de Wilson Barros, é uma comédia que coloca o espectador em dúvida sobre a veracidade das histórias contadas pelos seus personagens. Além de Zezé no papel de Malu, o elenco conta com Marilia Pera, Antônio Fagundes e Marco Nanini. Passado durante uma madrugada na cidade de São Paulo, o filme mostra a interação entre diferentes personalidades, entre elas uma empresária com negócios escusos, um diretor de teatro, um garoto de programa e uma diva decadente. Errantes, suas trajetórias se conectam entre inferninhos e ruas luminosas de neon, em meio a sonhos, crimes e orgias. 

A programação é completada com Vai trabalhar vagabundo (1974), uma comédia de Hugo Carvana que tem como tema principal o “malandro” do Rio de Janeiro. Zezé Motta divide o elenco com Odete Lara, Marieta Severo, Nelson Xavier e Chico Buarque. 

Na história, Dino, conhecido como um inimigo do batente, precisa lidar com os novos tempos, já que o romantismo dos tempos das antigas sinucas e gafieiras desapareceu.  De andança em andança, de golpe em golpe, o destino lhe apresenta muitas surpresas. 

SERVIÇO: 

Itaú Cultural Play
Mostras: Zezé Motta e Esperando Godot na Coleção Palco Virtual 

A partir de 24 de junho de 2022  

Em www.itauculturalplay.com.br  

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display