Versão brasileira do premiado musical “A Cor Púrpura”, reestreia no teatro Riachuelo

0
1017

Vencedor dos Prêmios Pulitzer, Grammy, Tony e com 11 indicações ao Oscar, o musical A Cor Púrpura, reestreia no teatro Riachuelo com versão musical inédita no Brasil, dirigido por Tadeu Aguiar e versão brasileira de Artur Xexéo o musical é apresentado pelo Ministério da Cidadania e pela Bradesco Seguros.

Alice Walker foi a primeira escritora negra a ganhar o Pulitzer pelo seu livro A Cor Púrpura, lançado em 1982, o espetáculo continua contemporâneo ao retratar relações humanas, de amor, poder, ódio, em um mundo pontuado por estruturais diferenças econômicas, sociais, étnicas e de gênero. Com direção de Steven Spielberg, a obra foi adaptada para o cinema em 85, recebendo 11 indicações ao Oscar. A transposição para musical aconteceu em 2005, na Broadway. Em 2016, houve uma nova montagem, rendendo à produção 2 Tony e o Grammy de melhor álbum de teatro musical.

A Cor Púrpura é “um grande grito de liberdade”, detalha o diretor e idealizador Tadeu Aguiar: “Reforcei o caráter epistolar do romance, valorizei o ponto de vista da protagonista, tendo a figura do ator como o principal instrumento condutor da história. A palavra é a grande força do espetáculo”, afirma o diretor.

Tanto no livro como no musical, as mudanças de vida da protagonista estão relacionadas ao ambiente no qual ela vive.  A cenógrafa Natália Lana criou uma casa giratória como elemento central, representando as diferentes facetas da trajetória da vida da personagem. São 17 atores, 8 músicos, 90 figurinos em um palco giratório de 6 metros de diâmetro e uma escada curva com sistema de travelling em volta do cenário. A história é universal: fala do ser humano, em especial das mulheres. É imediata a identificação com o momento do país, onde há tantas histórias de opressão às mulheres. 

Serviço

 

Comments

Comentários