Tais Araújo sobre home office: “Eu não me adaptei até hoje, tem sempre alguma criança correndo”

0
1128

Faz tempo que as mulheres perceberam que estão trabalhando muito mais desde que entraram em home office e a pesquisa da Workana confirmar essa desigualdade: 31,3% das latino-americanas cuidam dos filhos enquanto trabalham. Entre as brasileiras, esse percentual sobe para quase 50%.

Entre os homens brasileiros, apenas 11,1% disseram acumular as duas tarefas. Ou seja, cuidar dos filhos – que inclui ajudá-los com as lições de casa – se tornou mais uma responsabilidade da mulher, que já está sobrecarregada com os serviços domésticos. Ao levar o trabalho do escritório para o lar, homens e mulheres não assumiram as novas obrigações de maneira igual.

Abordando esse e outros assuntos a Vogue realiza a primeira edição do Vogue Wellness Summit, um evento totalmente online, multiplataforma, que traz especialistas e formadoras de opinião para debates no InstagramYoutubeFacebook, em podcasts no Spotify e ocorre nos dias 31 de março e 1 e 2 de abril.

Neste primeiro dia de evento o bate-papo foi com Tais Araujo, Ana Raia e Mafoane Odara sobre Home Office: O impacto de trabalhar onde se vive e viver no trabalho.

Eu não me adaptei até hoje, tem sempre alguma criança correndo“, disse Tais Araujo sobre o home office. A atriz teve que se adaptar ao home office e adaptar, completamente o seu trabalho. Durante o período de confinamento, Tais e Lazaro Ramos produziram uma série gravada dentro de casa.

Tais aproveitou sua participação e perguntou para Ana Raia e Mafoane Odara, ambas com trabalhos formais e de convivência em escritórios: “Essa mistura é ótima. Sempre ter acesso ao meu filho durante o trabalho e ele também ter acesso a mãe mas essa mistura também impossibilita de se ter uma concentração e focar no trabalho, como lidar?“.

Ana Raia que é lifecoach disse: “Precisamos ser menos exigentes mas também saber dizer não e também saber escolher as nossas batalhas“.

Estamos em uma jornada de nova forma de trabalhar, temos que readaptar nossa forma de trabalhar e precisamos transformar líderes em lideres empáticos, que entendam o outro lado“, respondeu Mafoane Odara, executiva de RH.

Todos estão passando por um processo complicado, principalmente mulheres que são lideres no trabalho e em casa. “Nos mulheres não podíamos ter nenhum problema emocional, sempre ouvimos a frase: passou da porta do trabalho, esquece da vida pessoal. Mas agora está tudo misturado“.

A Vogue Wellness SummitHome Office: O impacto de trabalhar onde se vive e viver no trabalho, trouxe questionamentos e debates reais e que precisam estar em pauta e ouvir de outras mulheres, em posição de poder, que também passam pelos mesmas questões que passamos no nosso dia a dia ao lidar com a casa, filhos, marido e trabalho, é no minimo um alivo de que ‘não é só comigo’ ou ‘estou exausta com motivo e mereço um escape’. Esse escape pode ser: estabelecer um momento de autocuidado particular ou procurar um apoio e auxilio psicológico.

Assista a Wellness Summit e cuide-se:

Comments