Taís Araujo se manifesta sobre ato racista de seu cabeleireiro: “mesmo o amando não posso passar a mão em sua cabeça”

0
161337

Nesta semana, circulou pelas redes sociais o vídeo em que Wilson Eliodorio, bem conhecido no mundo da moda, colocou a modelo Mariana Vassequi em uma situação constrangedora por conta da textura do cabelo dela. Eliodorio usou duas modelos negras para falar sobre cabelos crespos durante uma aula em seu salão para alunos brancos. Mariana tinha o cabelo mais crespo e volumoso. Eliodorio posicionado atrás da modelo e mexendo em seus cabelos disse. “Filhote do patrão, né? Patrão comeu e gerou isso”. Em seguida ele se dirigiu à outra modelo de cabelo crespo. “Esse também é um cabelo brasileiro, pela ascendência étnica, mas aqui é mais comum. Esse é um cabelo que a gente encontra mais na Europa”, ele tenta explicar.

Leia também: Cabeleireiro diz “Patrão comeu aqui e gerou isso” para definir cabelo crespo de modelo negra

Entre as famosas que Wilson é amigo e cabeleireiro está Tais Araujo. Nesta sexta-feira (28), a atriz usou suas redes sociais para se posicionar a respeito do ocorrido. Em publicação, Tais lamenta o racismo cometido pelo amigo, ainda mais por ser um homem negro, gay e profissional da beleza.

Tais lamentou o ocorrido mas não tirou a culpa de Wilson, a própria diz que o vídeo “bateu doido” e por isso demorou a falar. Ela finaliza a publicação agradecendo a coragem das modelos em expor tal situação, demonstrando apoio e acolhimento a Mariana Vassequi e Ruth Morgam.

Confira a publicação feita por Tais Araujo:

O racismo cometido pelo meu amigo e cabeleireiro Wilson Eliodório me tirou o chão e a voz. Bateu doído. E por isso demorei a falar. E mesmo o amando não posso passar a mão em sua cabeça. Ele deve se responsabilizar por seus atos e se repensar enquanto homem negro, gay e profissional de beleza. Demorei também porque, antes de tudo, sou uma mulher negra e isto me atravessa. Atravessa a todas nós. Demorei porque é terrível ver que a estrutura racista desse país se perpetua até com os nossos, os que amamos.

Acima de qualquer coisa estou aqui para acolher Mariana Messaqui e Ruth Morgan, mulheres negras como eu que não aguentam mais desrespeito e racismo. Mariana Vassequi e Ruth Morgam, a vcs duas todo meu amor, respeito e gratidão por terem tido a coragem de falar. Saibam que este é um grande e importante passo na luta contra o racismo. A vc que está lendo esse post, recomendo que sigam @marianavassequi e @ruthmorgamoficial que não somente são donas de cabelos maravilhosos: elas têm lindos trabalhos e pensamentos.

https://www.instagram.com/p/CEcpwgsgySp/

Comments