SESC Santo Amaro celebra o mês da consciência negra com mais de 20 atividades

0
356

Este mês, o SESC Santo Amaro recebe 23 atividades ligadas à cultura africana dentro do projeto Afro brasilidades. São atrações em diferentes expressões artísticas. Shows, espetáculos de teatro, cursos, oficinas, contação de histórias, para todas as idades e interesses. A entrada gratuita.

No dia 15 o Samba de Dandara convida Roberta Oliveira para reverenciar esta guerreira (Dandara) que é considerada referência histórica na luta contra a escravidão. Já no Dia 17, Carolina Maria de Jesus, considerada uma das mais importantes autoras brasileiras, é exaltada no espetáculo Salve Ela! Será contada a história desta moradora da favela Canindé, que a cada dia ganha mais reconhecimento.

No feriado da Consciência Negra, dia 20, “As aventuras do Boi B.leza” mistura música e literatura para contar a história de dois meninos e sua viagem com B.leza, um boi do nordeste brasileiro que sobrevoa as Ilhas de Cabo Verde e acaba descobrindo as belezas desse país do Continente Africano, com Morabeza Nação.

O contrabaixista cubano Aniel Someillan apresenta Quilombo, seu álbum de estreia, na Praça coberta do Sesc Santo Amaro, no dia 23. Haverá também curso de estamparia africana, com Thereza Frezza; a oficina Samba em Primeira Pessoa, voltada a mulheres, em que as participantes, além de conhecer a história deste ritmo a partir do olhar feminino, serão provocadas a criar suas próprias narrativas; e a oficina de dança Deuses que Dançam, com Wellington Campos e Núcleo Coletivo 22, com base nas sagradas danças dos Orixás do Candomblé do Brasil.

Para as crianças

Este mês, acontecem diferentes sessões de contação de histórias com entrada gratuita para revelar às crianças diferentes facetas do povo africano. Em “Passando Histórias da África” a Cia Malas Portam apresenta ao público uma incrível bagagem com quatro lindas histórias contadas e sentidas ao som do instrumento africano djembê, no dia 17.

Já no dia 20, a Cia. Colhendo Contos e Diáspora Negra traz um conjunto de narrativas carinhosamente escolhidas e colhidas na Etiópia. No mesmo dia, a partir dos jogos teatrais e brincadeiras africanas, crianças (até 12 anos) terão contato com cirandas e brincadeiras de roda, cantos africanos (músicas de trabalho) e composição de narrativas para poder identificar referências originárias do continente africano.

Nos domingos de novembro acontece a Oficina: “1, 2, 3 e já!”, movimento e Imagin(a)ção que conecta adultos e crianças com brincadeiras que atravessam gerações. Somente no dia 22, Ana Ventura e Juliana Gois fazem a vivência Brincadeiras Africanas, com jogos e brincadeiras de países do continente africano.

O SESC fica na Rua Amador Bueno, n° 505.

Comments

Comentários