Fazendo uma singela adaptação da palavra Ubuntu, muito da arte negra no cinema, TV e teatro, é por que Ruth Souza, que faleceu nesse domingo (28) aos 98 anos,  existiu. “Ela veio antes de todas nós. Ela veio antes da Chica Xavier, ela veio antes da Lea Garcia, antes da Zezé Motta. Ela veio antes de muitas antes de nós”, destacou Taís Araujo em seu Instagram.

Na dramaturgia Negra Dona Ruth inventou a roda sim, sendo a primeira mulher negra em vários momentos da sua vida profissional, como por exemplo, sua encenação no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em 1945, no espetáculo “O Imperador Jones” (“The Imperator Jones”), do dramaturgo americano Eugene O’Neill (1888-1953).  Como Taís Araújo bem descreveu em seu Instagram

A atriz sempre disse em suas entrevistas, que interpretar a poetiza Carolina de Jesus, foi seu trabalho preferido. “Eu até esquecia quem eu era”, ilustrava a atriz.

Ruth de Souza chegou a dar aula de alfabetização para pessoas pobres que queriam se tornar atores, mas não sabiam ler. Ela conta um pouco sobre sua própria história nessa homenagem da Ancine:

Despedidas e homenagens

Dona Ruth foi uma unanimidade dentro da classe artística. No carnaval desse ano, ela homenageada pela escola de samba Santa Cruz, no desfile da Série A do Carnaval do Rio.

“‪Ruth de Souza foi a primeira atriz negra que construiu carreira no teatro, cinema e na televisão brasileira. Partiu para outro plano hoje, aos 98 anos, e deixa um verdadeiro legado. Vá em paz, dona Ruth”, disse o roteirista Walcyr Carrasco.

“A passagem da Grande Dama Ruth de Souza, nos deixa com uma imensa sensação de perda por tudo que ela foi e representa.
gratidão por toda a história e legado que deixou.
ViVa Dona Ruth de Souza!!”. Essas são as palavras da atriz Maria Gal, de As Aventuras de Poliana e que também atua como ativistas na inclusão do negro no mercado audiovisual.

View this post on Instagram

E os céus recebem hoje a nossa GRANDE RUTH DE SOUZA. INSPIRAÇÃO RAINHA GRANDE DAMA DAS ARTES. 98 Anos de grandes conquistas. Imensa GRATIDÃO por abrir tantos caminhos. Perdemos uma das nossas grandes referências de atrizes negras do Brasil. D. Ruth de Souza tinha o sonho de ser atriz desde a infância, quando chegou a ouvir " Não tem artista preto". Aos 98 anos, ela nos deixa um grande legado. Essa mulher que rompeu barreiras e preconceitos que infelizmente existem até hoje. Imensa GRATIDÃO D. Ruth de Souza. A senhora parte mas deixa nos nossos corações o bastão para avançarmos. Obrigada ETERNA DAMA, PIONEIRA, MAJESTADE. . . . . . . . #atrizesnegras #atriz #artista #tv #teatro #teatromunicipal #cinema #novela #fotografia #ativismo #ativista #ruthdesouza #mariagal

A post shared by MARIA GAL (@mariagalreal) on

Atores a atrizes negras compartilharam fotos com Ruth de Souza, deixando mensagens emocionantes de despedidas, sem esquecer de enaltecer o legado de uma atriz que viveu em um mundo muito mais racista do que hoje, mas não perdeu a elegância, a vontade de trabalha e de fazer um trabalho baseado na excelência negra.

https://www.instagram.com/p/B0d_VYfHmJ3/

View this post on Instagram

Ela veio antes de todas nós. Ela veio antes da Chica Xavier, ela veio antes da Lea Garcia, antes da Zezé Motta. Ela veio antes de muitas antes de nós. Sempre com um talento arrebatador, um profissionalismo pra se destacar, um encanto e um respeito pela profissão, quando essa profissão não era respeitada, quando atrizes não eram respeitadas nem admiradas. Ela abriu todas as portas, ela escancarou essas portas e hoje Maria Ceiça, Zezé Barbosa, Isabel Filladis, Olivia Araújo, Nara Couto, Aline Dias, Elisa Lucinda, Grace Passô, Ana Carbatti, Camila Pitanga, Roberta Rodrigues, Cinta Rosa, Vaneza Oliveira, Adriana Lessa, Dhu Moraes, Heslaine Vieira, Priscila Marinho, Pathy de Jesus, Flavia Souza, Jéssica Ellen, Luana Xavier, Cacau Protásio, Sheron Menezzes, Indira Nascimento, Thalma de Freitas, Dani Ornelas, Jeniffer Dias, Tati Tiburcio, Erika Januzza, Mariana Nunes, Sylvia Nazareth, Larissa Noel, Thainá Duarte, Marcela Gobati, Fernanda Jacob, Cris Vianna, Heloisa Jorge, Jeniffer Nascimento, Juliana Alves, Dandara Mariana, Lucy Ramos, Maria Gal, Lidi Lisboa, Larissa Luz, Kesia Estácio, Adriana Alves, Luana Xavier (e tantas outras irmãs que não citei) e eu estamos aqui graças a ela e ao seu legado. Obrigada, Dona Ruth, obrigada por toda garra, todo empenho, todo talento, toda coragem, toda humanidade, toda perseverança. Obrigada por sua existência. E tomo a liberdade de agradecer em meu nome e no de todas as mulheres desse País, até das que não têm noção da sua importância. Te amo, te amamos, te saudamos, te celebramos. Seguiremos seus ensinamentos e honraremos seu legado. Sempre.

A post shared by Taís Araujo (@taisdeverdade) on

 

 

 

Comments

Comentários