Rodrigo França ministra Curso de Teatro online na Escola Nacional das Artes

0
779

Com a missão de democratizar os estudos culturais, ensinar, formar e qualificar profissionais na área artística, chega ao mercado a Escola Nacional das Artes – a primeira escola online de artes do Brasil. Com um Sistema de Ensino exclusivo, a Escola conta com uma plataforma de streaming que permite a qualquer pessoa no mundo se conectar para assistir às aulas gravadas em vídeo, quando quiser e por onde quiser (computador, celular, tablets etc).


Um dos idealizadores e fundadores da escola é o produtor e empresário Caio Bucker, atuante há mais de 12 anos no mercado artístico e com produções de sucesso (como “Ícaro and The Black Stars”, com Ícaro Silva; e “Parem de Falar Mal da Rotina”, com Elisa Lucinda). Ele aposta na experiência digital como uma forma de acessibilidade aos iniciantes, profissionais da área ou apenas aos amantes dela. “O mundo online vem crescendo cada vez mais, e nesse momento de isolamento social tornou-se necessário. A companhia das pessoas em casa é justamente a arte e o entretenimento, como séries e lives de shows e peças. Os cursos online, além de entreter, vão ensinar e qualificar”. Por ser online, a escola oferece amplo alcance ao ensino de excelência para todo o país e até para todo o mundo. “A partir de conteúdos bem elaborados e inéditos, podemos tirar a ideia de que os cursos online são caça níqueis e que a escola pode contribuir muito no ensino das artes.” Conclui.

Rodrigo França foi convidado a ministrar o curso de Teatro da Escola, e oferece uma experiência para o exercício de interpretação para atores iniciantes e profissionais, possibilitando um mergulho na história do teatro e análises de obras teatrais e de sua recepção, além da relação com diversos processos de criação da cena contemporânea.
Ator, diretor, dramaturgo, articulador cultural e artista plástico, começou a carreira em 1992 e já trabalhou em 42 espetáculos como ator e 8 como diretor. Foi o vencedor do Prêmio Shell de Teatro 2019 na categoria “Inovação”, e no 18º Prêmio Questão de Crítica, ambos pelo trabalho no Coletivo Segunda Black, onde é cocriador e curador. Dos trabalhos mais recentes como diretor, destacam-se “Oboró – Masculinidades Negras”, “O Amor como Revolução”, “Yabá – Mulheres Negras” e “Enlaçador de Mundos”. Escreveu os livros “O Pequeno Príncipe Preto” e “Confinamentos & Afins – o olhar de um homem negro sobre resistência e representatividade”, e já expôs suas pinturas no Brasil, Estados Unidos e Portugal. Atua também como pesquisador, consultor e professor de direitos humanos fundamentais, sendo ativista pelos direitos civis, sociais e políticos da população negra no Brasil. 


Os cursos podem ser adquiridos através do site da Escola (https://www.escolanacionaldasartes.com.br/). As aulas são gravadas e ficam disponíveis para o aluno assistir quando quiser.

Comments