Preto consome preto: Um plano de poder para o povo negro conquistar a liberdade econômica

0
907

É preciso compreender que vivemos em um sistema econômico feito para privilegiar brancos e dificilmente uma pessoa negra costuma ter oportunidades de passar um negócio para seus filhos. A tendência, se não mudarmos as configurações atuais, é que os filhos dos negros e seus netos continuem a ser contratados por último e serem  demitidos primeiro. 

Você entende que o sentimento de povo, de nação não pode ser construído sobre caridade, doações ou dependência de outros grupos para fornecer à sua comunidade as necessidades básicas para viver.

Imagem: Humberto Souza

Estas são dicas testadas, adaptadas do livro “PowerNomics”, de Claud Anderson e possuem o poder de transformar a comunidade negra. Todas as dicas visam mudar a história do povo preto no Brasil como consequência de sua liberdade econômica.

1° PRODUZA UM PRODUTO

Um produto é qualquer item físico que você cria para vender. Olhe ao seu redor: tudo o que você vê é um produto criado por outra pessoa. Você pode fazer o mesmo. Os melhores produtos são aqueles que resolvem uma necessidade existente. Pense em papel higiênico, pasta de dentes, roupas e livros que ensinam os leitores a resolver um problema ou entender um assunto importante, ou itens que ajudam os clientes a se expressarem.

Você também pode melhorar um produto existente. Crie uma melhor torneira. Crie um banheiro melhor. Será difícil? Certamente. Será que vai valer a pena? 

Estudo de caso: Eu conheci uma irmã que trabalhava em uma loja de acessórios. Ela odiava seu emprego, mas montava combinações de jóias que não estavam disponíveis no catálogo da loja. Quando as vendas no trabalho não davam certo, ela produzia sua própria arte e vendia em feiras livres para os mesmos clientes. Em vez da empresa obter a participação no lucro do produto, isto vai direto para ela. É assim que você cria um produto e consegue autonomia.

2° PRESTAR UM SERVIÇO

Um serviço é qualquer habilidade que você possui e que o mercado precisa e está disposto a pagar. Encanadores, mecânicos, barbeiros, tatuadores, programadores de computador e pintores têm habilidades para as quais o mercado está disposto a pagar muito dinheiro. 

 O  tempo é o bem mais valioso da Terra, por isso serviços que economizam tempo das pessoas são cada vez mais desejados. Se você tem habilidades que as pessoas em média não possuem, use como oportunidade para ganhar dinheiro. Conserte um computador, troque uma torneira. Encontre como prover esses serviços e também como encontrar prestadores pretos para realizar todos esses mesmos serviços para você. O Afrosaúde é um exemplo.

Exemplo: Com o envelhecimento da nossa população, a necessidade de serviços pessoais vai disparar. Muitos idosos não podem mais fazer suas próprias compras e necessitarão de cuidados especiais, então pode haver um mercado lá.

3° TAREFAS TERCEIRIZADAS A UM MEMBRO DA COMUNIDADE

Nos negócios, a terceirização é a contratação de um processo de negócios para outra parte. Se você está no negócio, você não pode fazer tudo sozinho. Terceirização é como contratar um profissional para cuidar de tarefas únicas. A terceirização não é tão cara quanto possa parecer. Você pode terceirizar web design, programação de computadores, contabilidade, marketing digital (conhece a irmã Simara) e quase tudo o que você precisa fazer.

Aqui no MBM terceirizamos várias atividades para outros irmãos Pretos. Mesmo que você não consiga encontrar um provedor de serviços Pretos perto de você, vale procurar no Google.

4° ABRA UMA LOJA ONLINE

Depois de criar produtos e/ou serviços para vender, é necessário encontrar as pessoas que estão dispostas a comprar de você. Nesse momento você deveria começar a pensar na estratégia de comunicação e na construção de seu ponto de venda, ou seja, sua loja on-line.

Ao abrir uma loja online, você terá a crença que tem acesso a um mundo de clientes. Ledo engano … você precisará trazer audiência para sua loja, mas se outras pessoas o têm feito e ganham a vida com isso, você também pode!

Que tal facilitar a busca por audiência posicionando sua loja em um Marketplace para Comunidade Negra? Você não terá custos para criação da loja, nem a burocracia de administração e criação da arquitetura de informação, sendo assim um importante primeiro passo para começar sua jornada no mundo on-line.

Análise de concorrência: descubra como se destacar no mercado
Imagem: Movimento Black Money

5° ABRA UMA LOJA DE ARTIGOS DE PRIMEIRA NECESSIDADE

Embora possa ser mais caro abrir uma loja física em comparação a uma loja on-line, há muitos benefícios. Primeiro, quando se discute economia de grupo, as lojas físicas oferecem “âncoras” na comunidade. Muitas pessoas consideram as empresas em torno deles como um benefício de viver em uma área particular. Pense em barbearias populares, restaurantes ou lojas de conveniência.

Se as empresas são de propriedade de Pretos (como o Velho45) e fornecem bens ou serviços de qualidade, isso pode ter um impacto positivo em toda a comunidade. Há também menos concorrência, já que qualquer um pode abrir um negócio on-line, mas nem todo mundo está disposto a abrir as portas fisicamente!

6° TRAGA EVENTOS ONLINE PARA A COMUNIDADE

Organize experiências de comunidade, seminários econômicos de grupos locais, venda de terrenos comunitários e outros eventos que ensinem o restante da comunidade a colocar essas dicas em prática. Encontre um centro comunitário, um clube para meninos e meninas ou uma escola com auditório ou academia e comece a trabalhar. Quanto mais as pessoas virem sua comunidade negra se unindo, mais estarão dispostas a participar.

Fazer a Comunidade Negra se engajar  é praticar Black Money! 

7° COMPRE PRETO – USE LISTA DE NEGÓCIOS PRETOS

Há milhares de negócios Pretos existentes. Sabemos que essas empresas pretas variam do local ao global mas a pergunta que não quer calar é: Por que você não está comprando deles?

Muitas pessoas dizem que não compram por ter dificuldade de encontrar os negócios e empreendedores pretos e por isso criamos o Mercado Black Money, o Marketplace que permite a conexão entre empreendedores e consumidores Negros. 

Se você é proprietário de uma empresa, adicione sua empresa ao nosso marketplace. Se você é um consumidor, use nosso marketplace para manter o dinheiro Preto em mãos Pretas.

erros na gestão financeira de pequenos negócios para você evitar
Imagem: Movimento Black Money

8° CRIAR JARDINS COMUNITÁRIOS

Comece a planejar e reunir tudo o que você precisa para plantar, o que ingerimos como alimento sempre fora o remédio de nossos antepassados. Se você está começando com a ideia de ingerir orgânicos e também deseja aprender como plantar a própria comida, que tal falar com o irmão da Loja On Hortas?

Ele poderá desenvolver em sua comunidade uma horta comunitária onde irá  cultivar e comer, vender ou transformar em um produto para outros membros da região.

Minha avó tinha uma figueira, uma Nogueira-pecã e um pequeno jardim no quintal. Ela poderia fazer dezenas de produtos desses poucos recursos, incluindo conservas de figos e geléias, sobremesas, nozes para venda à kg, tortas etc. O que não podíamos comer, ela vendia. O que ela não podia vender, ela dava para o terreiro(umbanda) ou para os sem recursos.

As hortas comunitárias também criam oportunidades para envolver as crianças e os idosos em sua comunidade. As mães de asilos gostariam de poder voltar para casa ou a oportunidade de criar produtos com ingredientes frescos. Construir casas de santo com hortas comunitárias e aviários é um exemplo que devemos seguir.

9° COMECE A FAZER E VENDER SUAS PRÓPRIAS ROUPAS E ACESSÓRIOS

Começamos vendendo camisetas e canecas em nossos eventos e entre amigos. Agora estamos fechando um co-branding com a Ligia Parrera da Devassas, para iniciarmos nossa venda online usando nosso Marketplace. Antes mesmo de “profissionalizar” a produção de nossas peças conseguimos produzir mais de 4 campanhas lucrativas de camisetas.

10° CONSTRUA UMA REDE DE PRODUÇÃO E PRODUTOS PRETOS

Encontre produtos de baixo preço de fornecedores pretos e venda pelo valor de mercado. Se você puder encontrar um vendedora vendendo esculturas em madeira por R$10 e a loja virando a esquina vendendo por R$50, você encontrou uma oportunidade.

Lembre que precisamos comprar preto e vender para todos, mas se encontrarmos consumidores pretos precisamos controlar a “Mais Valia” (Mais-valia é uma expressão criada por Karl Marx que significa parte do valor da força de trabalho despendida por um determinado trabalhador na produção e que não é remunerado pelo patrão.) 

Compre  barato e venda caro, mas sempre coloque Race first – faça como o irmao Humberto Baltar que sempre gera descontos entre 30% e 50% para alunos negros em suas aulas de inglês.

CONCLUSÃO

Você já entendeu o que precisa ser feito, mas entendemos que colocar em prática a filosofia do #BlackMoney pode ser desafiador. Para resolver este problema, o Movimento Black Money criou o Mini-Manual de Guerrilha da Comunidade Negra!

Comments