“O Protetor” é um filme de ação estiloso e violento que se segura no carisma de Denzel Washington

0
1010

Antoine Fuqua é o diretor responsável por “Dia de Treinamento”, longa responsável por dar o Oscar a Denzel Washington em 2002. Em “O Protetor”, ator e diretor repetem a parceria em um cenário suburbano parecido com o do filme premiado.

Denzel é Robert MacCall, um homem aparentemente pacato que trabalha em uma loja de ferragens e que um dia mostra um talento sem igual para matar, após criminosos que agrediram a prostituta Teri (Chloe Grace Moretz) com quem fez amizade no café onde costuma ir para ler.

O Protetor | Netflix
Imagem: Reprodução

O filme segue uma linha menos caótica do que outros filmes de ação, sendo um retrato de seu protagonista extremamente metódico. Não há pressa para estabelecer conflito, mas a presença enigmática de MacCall deixam no ar que aquele homem sabe muito mais do que simula na sua repetitiva rotina diária. O diretor conhece o ator que tem em mãos e deixa o olhar de Washington falar muito mais do que exposições desnecessárias no roteiro. Em uma das melhores cenas do filme, há uma tentativa de negociação com mafiosos russos que entrega muito da forma de operar de MacCall. Ele entra na sala onde se encontra o núcleo da gangue russa e observa cada objeto, cada posição dos indivíduos no local e ao fim da conversa esse olhar atento faz todo sentido, com o personagem usando tudo aquilo que observou como arma para dizimar os adversários. O evento é como um gatilho e Robert passa a agir como justiceiro da região o que vai levá-lo a confrontar algo maior que cafetões de bairro. 

Todos os golpes de MacCall são certeiros, as lutas são rápidas, mas o que torna o filme ainda mais interessante é que para a implacabilidade do herói há um vilão interessante e ameaçador vivido pelo neozelandês Mark Csokas. Seu personagem é tão metódico quanto o protagonista, mas com uma verve cruel. A presença dele faz com que a gente possa temer pela integridade física dos outros em cena.

Esteticamente o filme é bonito e para quem gosta da figura de Denzel Washington, há filmagens de sobra com o ator em câmera lenta, debaixo da chuva e fazendo a pose de durão, mas nenhum exagero que faça o longa resvalar na cafonice.

“O Protetor” é um filme de ação estiloso, com enredo simples, mas que ancorado no carisma de Denzel Washington e na competência de Antoine Fuqua evita cair na lista de filmes genéricos de ação.

O filme está disponível na Netflix.

Comments