Com a ideia de dialogar sobre diversidade, protagonismo negro e racismo, a atriz, apresentadora e criadora de conteúdo Maria Gal se prepara para estrear, no próximo dia 26 de maio, o programa ‘Preto no Branco”, no BandNews TV. O talkshow que marca a estreia de Gal como apresentadora de TV e showrunner celebra a semana em comemoração ao Dia da África. O programa fará parte da programação das noites de quinta-feira do canal a cabo, sempre às 23h30, com reprise aos domingos. Nomes como Liliane Rocha, o jogador Aranha, Renato Meirelles, Julio César Andrade, Erica Malunguinho, Gabriela Moura, Felipe Silva, sócio e fundador da agência Gana e a Advogada Cláudia Luna estão entre os entrevistados.

“Estou muito feliz de iniciar o programa. Tenho o costume de dizer que é um programa de letramento disfarçado de talk show. Este projeto foi pensado após vários acontecimentos e manifestações ocasionados pelo assassinato de George Floyd, do músico Edvaldo dos Santos e da menina Agatha dos Santos. Toda vez que nos deparamos com as notícias, sempre somos surpreendidos por tragédias decorrentes do racismo”, analisa a apresentadora.

Com seis episódios na primeira temporada, o ‘Preto no Branco’ tem como proposta ampliar a discussão sobre pautas raciais na televisão e fomentar a conscientização da população sobre a urgência em tratarmos demandas de inclusão e diversidade na sociedade. Serão abordados temas como racismo e finanças, intolerância religiosa, racismo no esporte, racismo na publicidade e privilégio branco, sempre com a participação de convidados no teatro e, também, de forma remota.

Maria Gal – Foto: Thiago Bruno.

O programa é produzido pela produtora de Maria Gal, a Maria Produtora, que quebrando o paradigma do audiovisual brasileiro que tem majoritariamente em suas produções pessoas brancas, a produção de Preto no Branco tem em sua equipe 58% de profissionais negros e 42% de brancos. Mulheres negras são 76% da equipe feminina.

De acordo com Maria, o formato foi inspirado na série americana “Uncomfortable Conversations with a Black Man”, de Emanuel Acho, na série documental EUA – A luta pela liberdade e no “The Oprah Conversation”, da apresentadora e jornalista Oprah Winfrey. Produções que utilizam entrevistas para debater temas relevantes, com pessoas dos mais variados perfis, como celebridades, executivos e especialistas, para extrair diálogos de grande importância com temáticas que influenciam o mundo.

O audiovisual brasileiro precisa de mais representações e, principalmente, para a população negra, é imprescindível se sentir representada. Este será só o começo para abrirmos um leque de possibilidades para novos recomeços e novas histórias serem contadas, dentro de uma ótica que não seja pautada pelo noticiário policial”, enfatiza Gal.

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments