Com um trailer de tirar o fôlego, em abril, mais especificamente no dia 14, Medida Provisória, primeiro longa de ficção cientifica de Lázaro Ramos finalmente chega ao grande público. Pelas novas imagens divulgadas nessa quarta-feira, 16, é possível entender melhor a história do filme que tem como protagonistas Taís Araújo, Alfred Enoch e Seu Jorge.

Taís Araújo em ‘Medida Provisória’. Foto: Mariana Vianna.

Nessa Medida Provisória que a história destaca, o governo brasileiro obriga os cidadãos negros a ‘voltarem’ à África como forma de reparar os tempos de escravidão. No trailer vemos pessoas negras sendo caçadas tendo a escolha dos seus destinos arrancadas de si, bem como aconteceu com nossos antepassados que vieram de forma forçada para Europa e Américas.

Conversamos com Lazinho para saber mais detalhes desse filme tão aguardado no Brasil e que já foi premiado internacionalmente. No Indie Memphis Film Festival, nos Estados Unidos, Medida recebeu o troféu de melhor roteiro para Lázaro Ramos e Lusa Silvestre e os corroteristas Aldri Anunciação e Elísio Lopes Jr. No Pan African Film, em Los Angeles, realizado em 2021, recebeu dois prêmios: de melhor direção e de melhor ator para Alfred Enoch.

Mundo Negro: Medida Provisória é um filme mega aguardado, mas ele é para todas as audiências do ponto de vista de faixa etária?

Lázaro Ramos: A classificação do filme é 14 anos. Eu acho que de qualquer maneira, com pessoas um pouco mais jovens acompanhadas de adultos, ele pode gerar conversas interessantes. Porque a classificação dele não está lá por causa de questões que acredito que numa família organizada, conversando, eu não possa gerar um entendimento.  É sim um filme muito emocionante. E aí eu acho que é preciso entender o que alguém abaixo de 14 anos pode gerar, para ter esse cuidado também. A proposta do filme é justamente essa, a gente se mobilizar através da consciência, mas também da emoção.

Seu Jorge em ‘Medida Provisória’. Foto: Reprodução.

No longa a premissa utópica de sermos enviados para África perpassa pela reflexão da nossa identidade como afro-brasileiros?

Sim, também é uma discussão que já vem do espetáculo de teatro Namíbia, Não!, dirigido por Aldri Anunciação. Na reflexão sobre a nossa identidade como afro-brasileiros, mas teve uma outra etapa que foi muito importante e que foi feita além, pelos roteiristas também com a parceria de Aline Maia, uma pesquisadora incrível e  que mapeou temáticas atuais ligadas à população negra e que a gente tentou levá-las para o filme através de personagens cenas e situações. Esse é um filme que tem muitas camadas e que possibilita, após assistir ele, ampliar as discussões. Nem tudo foi aprofundado, mas a gente batalhou o máximo possível as discussões serem instigadas. É um filme que não vai trazer respostas prontas nem a resposta a tudo. Mas vai trazer para o centro do palco temas que são importantes para o desenvolvimento do nosso país.

Alfred Enoch, Taís Araújo e Seu Jorge em ‘Medida Provisória’. Foto: Mariana Vianna.

Um set de maioria negra é um sonho para todo cineasta negro. Dá para descrever essa experiência?

É difícil descrever de uma forma breve, porque a cada dia, a cada novo integrante de equipe, o elenco que chegava, era muito motivador. Acho que talvez a melhor maneira de descrever para mim é a imagem de ver a própria equipe celebrando e valorizando a sua potência ao estarem no projeto juntas. Isso para mim é inesquecível e eu repetirei muitas vezes na vida.

Abaixo, você confere o novo teaser de Medida Provisória, longa que tem produção de Lereby e Lata Filmes e coprodução Globo Filmes e Melanina Acentuada, distribuição da Elo Company e codistribuição da H2O Films.

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments