Finanças na TV: Oito aprendizados de Julius

0
940

Independente da sua idade, é bem provável que você já tenha assistido algum episódio de Todo Mundo Odeia o Chris, que conta a história de Chris Rock e sua família. A série é ambientada no Brooklyn, na década de 80, e mostra as situações vividas por um jovem negro no seu dia a dia, com todas as problemáticas, de forma bastante cômica.

Um dos personagens mais icônicos da série é o pai do Chris, o Julius, conhecido por ter dois empregos e ser bastante planejado quando o assunto é finanças. Interpretado pelo ator Terry Crews, Julius tem fama de ser pão duro, contar os centavos de cada compra e pechinchar sempre que possível, porém sempre tem uma graninha quando é preciso. A verdade é que, em diversos episódios, ele compartilha dicas financeiras atemporais, importantes para refletirmos sobre como lidamos com a nossa vida financeira. Toda essa sabedoria foi reunida em 8 grandes aprendizados para que você, querido(a) leitor(a), possa repensar sobre alguns de seus hábitos financeiros.

  1.  “Por que eu vou sair para relaxar se posso relaxar em casa, que é grátis?”

Na maioria das vezes, quando pensamos em lazer e relaxamento, logo nos lembramos de atividades externas, que envolvem dinheiro. Busque alternativas de divertimento em casa, afinal, uma economia é sempre bacana, né?! Que tal fazer uma sessão pipoca com a família? E uma noite de jogos de tabuleiro? E aquele almoço de domingo regado a futebol? Assim, você economiza, fica pertinho de quem ama e ainda se diverte (às vezes, até mais)!

2. “Tire esse relógio da tomada, garoto. Você não consegue ver a hora enquanto dorme! São 2 centavos a hora.”

Por menos importantes que pareçam, precisamos valorizar também os pequenos valores. De pouquinho em pouquinho, poupamos muito e conseguimos realizar nossos objetivos. Mais importante do que poupar muito, é poupar sempre. Comece de algum lugar, mesmo que seja guardando os trocos em moedas.

3. “Uma corrente de ouro só serve para prender seu portão de ouro da sua casa de ouro.”

Às vezes, desejamos ter coisas caras só pelo status social. O problema é que nem sempre isso é coerente com a nossa situação financeira ou relevante para nossa vida. Sonhe alto, mas não deixe de se questionar: Eu realmente preciso disso? Posso pagar por isso? Precisa ser agora? Melhor do que parecer ter muitos bens, é conseguir se manter dentro do planejamento financeiro.

4. “Se eu não comprar nada, o desconto é maior.”

Essa é uma das frases mais clássicas do Julius. Pesquisar boas oportunidades de compra é sempre bem-vindo, mas não esqueça que descontinhos mágicos também são uma estratégia de vendas e podem incentivar gastos desnecessários e por impulso. Se você não está precisando ou não está com dinheiro sobrando, o melhor é evitar a compra.

5. “Sabe quantas vezes eu estava certo e tive que pedir perdão? 4.351 vezes!”

É comum associarmos educação financeira com números e planilhas e esquecermos das relações humanas. Você sabia que dinheiro é um dos motivos mais frequentes das brigas familiares? Atitudes como falar com serenidade, buscar o diálogo, ouvir com mais atenção e pedir desculpas podem ajudar nas finanças, afinal, não vivemos (nem gastamos) sozinhos. Planejamento conjunto é tudo! Preste atenção na forma como você se comunica.

6. “Quando eu era garoto, não precisava de roupa especial. Ter roupa já era especial!”

Infelizmente, muitos vivenciam momentos financeiros difíceis durante a infância e adolescência. Será que acabamos exagerando com os gastos ou nos contendo demais por conta das nossas experiências anteriores? O passado influencia o presente, mas você pode (e deve!) construir seu próprio futuro. Invista em seu autoconhecimento e repense o papel do dinheiro em sua vida. Sessões de terapia podem ajudar nesse processo.

7. “Aceita vale-refeição?”

Não tenha vergonha de pagar com vale-refeição, nem com dinheiro trocado ou moedinhas. Menos ainda de pechinchar. O importante é pagar suas contas em dia e manter o controle financeiro. Qualquer forma de pagamento é válida, contanto que esteja dentro do seu orçamento.

8. “Como assim largou o emprego? Largar é para bebida e cigarro!”

Se tem uma coisa que pode nos ajudar a economizar é diminuir ou evitar alguns hábitos, como cigarros, bebidas, jogos, compras sem planejamento e até comida em excesso. Não é para acabar com os momentos de lazer e relaxamento, mas tudo em excesso pode ser ruim para a saúde (física, mental e financeira). Fique de olho no seu bolso!

Depois desses conhecimentos preciosos, você deve estar buscando uma foto do Julius para colar na sua carteira, não é mesmo? Que suas palavras continuem sendo compartilhadas e sirvam de inspiração para mais e mais pessoas. Afinal, é sempre possível dar uma economizada. Obrigada, grande mentor Julius!

Comments

Artigo anteriorID_BR celebra cinco anos de promoção da igualdade racial no Brasil
Próximo artigoProjeto Diamantes na Cozinha abre 50 vagas para moradores do Complexo do Andarai
Apaixonada por educação, chás e um sambinha, Bia Santos tem 24 anos, é carioca e a atual CEO da Barkus Educacional, edtech social de inclusão e educação financeira, uma das startups vencedoras do Menos30Fest, festival de empreendedorismo da Rede Globo. Bia é graduada em Administração pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Universidade do Porto e pós-graduanda em História e Cultura Africana e Afro-brasileira pelo Instituto Pretos Novos, onde pesquisa diversidade organizacional e finanças com foco em questões raciais. Seu amor por novas culturais a tornou uma viajante de carteirinha, com experiência em 20 países! Foi reconhecida pela Forbes na lista Under 30 na área de Ciência e Educação, speaker do TEDxUFF 2017 e faz parte do livro Somos Empreendedoras, do Itaú Mulher Empreendedora, que conta a história de 25 mulheres inspiradoras brasileiras.