Filarmônica Afro Brasileira inicia comemorações dos 20 anos com duas apresentações especiais na capital paulista

0
420

A Filarmônica Afro Brasileira de São Paulo (Filafro), como parte da comemoração dos 20 anos e para celebrar o Dia da Consciência Negra, a Filafro Pop Orquestra, formação composta por cordas, sopros e percussão, faz duas apresentações em São Paulo.

A primeira apresentação será no dia 16, no Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer, onde a Filafro Pop recebe o músico cubano Rolando Luna para o show inédito “Alma Rumbaiana“. Os ingressos custam R$ 30 (com meia-entrada).

Rolando Luna já realizou concertos no Albert Hall (Londres), Concertgebouw (Amsterdã) e Tokyo Jazz Festival, colabora frequentemente com o Buena Vista Social Club, e tocou com Omara Portuondo, Pablo Milanés e Miriam Ramos.

Sob a batuta do maestro Josoé Polia Santiago – responsável também pela direção artística e musical do conjunto – a Filafro Pop apresentará repertório que mistura compositores brasileiros e cubanos, como Chiquinha Gonzaga, Ernesto Lecuona, Rafael Hernández, Ignácio Cervantes, além de composições do maestro Josoé.

O pianista, arranjador e compositor cubano Rolando Luna se junta à Filafro pela primeira vez para celebrar os vinte anos da Orquestra e também para colocar em prática esta mistura que caracteriza o som do grupo, dando novos ares a ritmos como o frevo, o baião, o son, o danzón, a canção e a rumba, dentre outros gêneros.

Já no dia 18 de novembro, domingo, às 16h, a Filafro Pop, também sob regência do Maestro Josoé, se apresenta no Sesc Parque Dom Pedro II. Desta vez, o convidado é o pianista e violoncelista cubano Yaniel Matos. A entrada é gratuita.

No show Pra Ninguém Ficar Parado, além da faixa que dá nome à apresentação, de autoria de Josoé, tem homenagem para Chiquinha Gonzaga – uma das mais importantes musicistas brasileiras -, além de obras do Yaniel e outras composições do maestro, como Baião de 2, Mouro e Escorrega mas não Cai.

Comments

Comentários