Festa polêmica da editora da Vogue terá encerramento no Terreiro do Gantois

0
4966

Usar mulheres negras “vestidas de baianas” como parte da decoração de aniversário é errado em muitos sentidos.  Conversando com uma amiga baiana, sobre a festa de 50 anos da Donata Meirelles, Diretora da Vogue, em Salvador, evento que repercutiu negativamente na redes sociais, ela me falou como esse tipo de festa temática reforça o estereótipo folclórico da mulher baiana como uma pessoa que nasceu para servir pessoas brancas. Essa negra não faz parte da festa, o papel dela é bem definido para servir e decorar o ambiente.

Nas Redes Sociais, muitos compararam as vestimentas das recepcionistas negras, ao que as mucamas vestiam para agradaram o olhar das suas donas brancas. Para servir a elite colonizadoras, os panos e alegorias eram diferentes e realmente similares ao usados na festa da esposa do Nizan Guanes.

View this post on Instagram

“(…)Já as escravas de casas ricas eram adornadas por seus próprios senhores. Quando saíam para as ruas acompanhando suas senhoras ou crianças, eram exibidas em trajes finos e carregadas de joias.A própria escrava era um objeto de ostentação do dono, um objeto de luxo a ser mostrado publicamente”. Trecho do livro Jóias de Crioula de Laura Cunha e Thomas Milz. A primeira foto foi tirada em 1860. De acordo com @edercansino a foto que faz parte do acervo do @imoreirasalles, intitulada “senhora da família Costa Carvalho na liteira com dois escravos” foi feita na Bahia por fotógrafo desconhecido. A segunda imagem é de 2019 mesmo. #sóeuacheiestranho #Bahiaterradafelicidade #ritadeixederecalque #passeodedinhoprolado #osprincípiosacimadaspersonalidades #qualquersemelhança #nãoémeracoincidência

A post shared by ritabatista (@ritabatista) on

E como se isso não bastasse, a festa de três dias se encerra no tombado Terreiro do Gantois, uma dos mais tradicionais da Bahia, com um brunch ao som do cantor Gilberto Gil, de acordo com o site Alô Alô Bahia.

Nossa história, nossas mulheres e ancestralidade são fonte de entretimento para pessoas que não contratam pessoas negras e  não convidam pessoas negras para festa ( eu não vi negros em nenhuma foto como convidados, se foram, são a minoria, porém para servir e adornar a maioria).

Pedido de desculpas da dona da festa

Marina Morena uma das participantes da festa, ao ver seu Instagram repleto de críticas, fechou os comentários e postou uma foto dela com a Mãe Menininha do Gantois, sem dizem que ela mesmo se definiu negra, como se isso desse validação para uma festa que é a perfeita imagem de como o racismo estrutural funciona no Brasil.

 

Comments