Enegrecendo as plataformas digitais

0
Enegrecendo as plataformas digitais

Passou da hora do Brasil dar ao mundo online as mesmas cores que têm off-line. Negros e pardos formam mais da metade da população brasileira, mas isso não é perceptível quando navegamos em espaços como o YouTube, por exemplo. Apesar de ser um espaço gratuito e democrático, na maior plataforma de vídeos do planeta, o conteúdo feito por e para negros, ainda fica perdido na multidão.

“Sentimos que há uma demanda, que há pessoas negras produzindo conteúdo, mas eles se sentem inseguras e acham que o YouTube não é para eles”, explica Silvia Nascimento, diretora de conteúdo do site Mundo Negro que fechou parceria com o YouTube Space São Paulo que nesse mês de maio tem oferecido cursos de qualificação para melhor uso da plataforma, somente para produtores negros. Nos dias 23 e 24, Youtubers negros de vários cantos do Brasil farão parte do Workshop Intensivo de Produção.

“Recebemos mais de 500 inscrições para um pouco mais de 50 vagas disponíveis e isso sinaliza o desejo dos produtores negros em se qualificar, em querer que seus vídeos alcancem a qualidade que eles assistem em outros canais da plataforma”, acrescenta Silvia.

“O projeto Negros Digitais, que faz parte do Mundo Negro visa justamente não só trazer mais pessoas negras para os ambientes digitais, mas sobretudo, qualificar e mostrar as possibilidades de fazer certo e melhor”, finaliza.

Ainda não há previsão da abertura de novos cursos voltados para comunidade negra, mas eles serão anunciados na página Negros Digitais no Facebook.

Comments

No posts to display