Editora Cobogó lança coleção sobre artistas-ativistas da periferia

0
724
(Créditos: Instagram @renesilva)

“Cabeças da periferia” mostra como personalidades constroem narrativas e mobilizações a partir da cultura e da comunicação

A coleção Cabeças da Periferia traz entrevistas com artistas-ativistas das periferias que transformam, com seu trabalho e mobilização, seus entornos e a conexão com o mundo. Os primeiros três livros apresentam, cada um deles, o comunicador Rene Silva, fundador do Voz das Comunidades, o escritor Jessé Andarilho, autor de Fiel (Objetiva, 2014) e Efetivo variável (Alfaguarra, 2017), e a dançarina e pesquisadora Taísa Machado, criadora do Afrofunk. Como protagonistas de suas próprias narrativas, eles revelam o que pensam e como criam, falando de seus projetos e ativismos, realidades e ações transformadoras.

A coleção, que conta com a organização de Marcus Faustini, escritor e idealizador da Agência de Redes para a Juventude, traz a cada livro entrevistas conduzidas por Faustini com a participação de comentadores como Julio Ludemir, Rôssi Alves, Fred Coelho, Paulo Sampaio, Isabel Diegues, entre outros, convocados para esquentar as conversas. Partindo de como cada um dos personagens narra a si mesmo, somos apresentados ao que pensam de cultura, ativismo, circulação na cidade, refletindo sobre o território, a criação, sobre como afetam e provocam suas comunidades e qual a expectativa com a produção de suas práticas. As capas, são fruto da obra de Maxwell Alexandre, artista visual carioca.

Criado no Morro do Adeus, Rene Silva é um dos empreendedores brasileiros listados na #ForbesUnder30 e um ativista reconhecido internacionalmente. No livro, ele narra sua trajetória e como foi criar com apenas 11 anos o jornal Voz das Comunidades, veículo de comunicação comunitária que hoje atua em 14 comunidades cariocas informando sobre o dia-a-dia e as necessidades das favelas, articulando moradores e criando pontes.

“Nosso maior objetivo é trazer melhorias, levar melhorias para dentro das favelas, onde a gente exerce um papel de conectar. Conectar a favela com o asfalto, a favela com o governo, ser essa ponte”, comenta Rene.

Já Jessé Andarilho, nascido no bairro de Lins e criado em Antares, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, escreveu seu primeiro livro, Fiel (Objetiva, 2014), de forma nada convencional: no bloco de notas do celular nas viagens de trem de Santa Cruz à Central do Brasil. Desde então, publicou vários títulos, profere palestras Brasil afora, criou o Marginow — um sarau de poesia, slam e rap —, e administra uma biblioteca comunitária em Antares. “Tudo eu penso na troca. Pra quem não conhece a realidade da favela e lê o livro, eu tô mostrando um universo novo pra essa pessoa. E pra quem já é da favela e conhece o universo, eu tô mostrando esse universo de outro jeito”, diz Andarilho reforçando seu propósito.

Taísa Machado, a Chefona Mermo, cresceu entre a Pavuna e São João de Meriti e está à frente do Afrofunk. Por meio do projeto de dança são oferecidas oficinas que mesclam funk, twerk, dança afro e outros movimentos afrocentrados ancestrais, além de debates sobre o lugar da mulher na sociedade, suas relações com o corpo, a sensualidade e a cultura que nasce nas periferias. “Eu estudo a ciência milenar de mexer com os quadris. E vai desde as perspectivas ancestrais até as músicas histericamente sexualizadas da cena contemporânea. Essas, particularmente, eu adoro, sendo que o funk é a minha preferida. As mulheres rebolam, e isso não é vanguarda, isso não é um privilégio do tempo presente, é um fato”, justifica Taísa.

É por meio destes três primeiros livros da coleção Cabeças da periferia, que descobrimos quais as estratégias de criação e ativismo, e como, através da arte e cultura, esses personagens atuam.

Ficha técnica

Título: Jessé Andarilho, a escrita, a cultura e o território

Organização: Marcus Faustini      

Entrevistado: Jessé Andarilho

Comentadores: Julio Ludemir, Rôssi Alves, Isabel Diegues

Número de páginas: 96 páginas

ISBN: 978-65-5691-007-9

Formato: Brochura

Dimensões: 13×19 cm

Preço: R$32

Editora: Cobogó

Ficha técnica

Título: Rene Silva, ativismo digital e ação comunitária

Organização: Marcus Faustini

Entrevistado: Rene Silva

Comentadores: Paulo Sampaio, Fred Coelho, Isabel Diegues

Número de páginas: 88 páginas

ISBN: 978-65-5691-009-3 

Formato: Brochura

Dimensões: 13×19 cm

Preço: R$32

Editora: Cobogó

Ficha técnica

Título: Taísa Machado, o Afrofunk e a Ciência do Rebolado

Organização: Marcus Faustini

Entrevistada: Taísa Machado

Comentadores: Emílio Domingos, Sinara Rúbia, Isabel Diegues

Número de páginas: 104 páginas

ISBN: 978-65-5691-008-6

Formato: Brochura

Dimensões: 13×19 cm

Preço: R$32

Editora: Cobogó

Comments