Covid-19: variante disparou o número de mortes de pessoas negras, inclusive as mais jovens

0
3312
Foto: Reprodução/Redes sociais

Após 1 ano completo de pandemia no Brasil, irresponsabilidade do governo e variantes do Covid-19, pessoas negras seguem sendo a maioria das vítimas fatais.

No último final de semana 2 personalidades negras brasileiras importantes faleceram em decorrência das complicações causadas pelo Coronavírus. O cantor Irmão Lázaro (54 anos) e o ator Edson Montenegro (63 anos).

As duas morte sensibilizaram o país e chamaram atenção para a vulnerabilidade de pessoas negras em relação à pandemia. Visto que pessoas negras -maioria da população brasileira- representam apenas 19% entre o total de vacinados no país e segundo informações da Folha de São Paulo “O excesso de mortalidade entre pessoas pretas predomina no Sudeste, maioria em São Paulo, e no Sul (Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná), onde existem as maiores taxas de desigualdades raciais.”

Segundo levantamento realizado pela A Pública Menos de 2 a cada 100 pessoas negras receberam a 1ª dose da vacina. Com a variante do vírus um outro dado mostra a desigualdade racial do Brasil, no estado de São Paulo, jovens negros estão morrendo 4x mais do que jovens brancos por covid-19

No último sábado, a Folha divulgou um estudo sobre as mortes de pessoas negras no estado de São Paulo em 1 ano de pandemia. Em decorrência da Covid-19, houve um aumento nos óbitos de 25,1% entre negros em 2020 já entre os brancos, as mortes aumentaram 11,5%. E quando é feito um recorte para os jovens a situação é ainda mais grave. A morte de negros chega a ser quatro vezes maior entre pessoas de até 29 anos. 

Os governadores dos estados brasileiros já estão adotando novas medidas de contenção do vírus, como o Lockdown e toque de recolher. No Rio de Janeiro e no Estado de São Paulo tiveram alguns feridos adiantados para conter o avanço do vírus e novamente as praias e funcionamento de serviços e comércios não essenciais estão proibidos.

Comments