Com influência afro-latinas, Sérgio Pererê lança disco que tem música gravada ao ar livre

0
910

Com tambores africanos tocados por argentinos e letras e composições do brasileiro Sérgio Pererê,  o disco Viamão propõe o encontro das heranças banto, iorubá e mandinga que se conformaram na América Latina, em uma mistura de sonoridades.

“É um álbum despretensioso, que vem do coração. Viamão tem muita percussão e nos faz refletir como esses tambores e a mitologia que vieram de vários lugares da África, dos reinos africanos, se disseminaram e foram reinterpretados no Brasil e na Argentina”, conta Pererê, que no álbum ainda toca o charango, um instrumento tradicional andino.

Viamão traz em seu nome uma homenagem a um povoado de Rio Manso/MG, localizado a 63km da capital mineira, cujas montanhas serviram de ‘estúdio ao ar livre’ das primeiras gravações, ainda em 2013. Em 2014, as gravações foram finalizadas em Buenos Aires e em Moreno, no interior da Argentina, ao longo de 15 dias de intenso trabalho em conjunto. O resultado são 12 faixas autorais .

SOBRE SÉRGIO PERERÊ

De djembé a guitarra, de charango a rabeca, Sérgio Pererê é um multi-instrumentista, com destaque para o trabalho como percussionista. Trata-se também de um intérprete de timbre peculiar, melódico e potente, que adota no palco uma persona artística magnética. Soma-se a isso o compositor profundo – mas que não se perde em hermetismos – cujas composições já foram gravadas por nomes como Ceumar, Titane, Eliana Printes e Maurício Tizumba. Mineiro de Belo Horizonte, Pererê fez parte dos grupos Pedra de Tucum, Avone e Tambolelê – com o qual excursionou pela Europa, EUA, Nova Zelândia e México -, mas seu trabalho solo pode ser considerado o mais expressivo de sua carreira e onde as referências afro-mineiras encontram-se de forma mais inovadora com vertentes da contemporaneidade. Faz parte desse trabalho quatro CDs autorais: Linha de Estrelas (2005), Labidumba (2008), Alma Grande, Ao Vivo (2010) e Serafim (2011). O artistas também já dividiu o palco com Milton Nascimento, Naná Vasconcelos, Wagner Tiso e João Bosco e, atualmente, integra o grupo Sagrado Coração da Terra, ao lado de Marcus Viana.

SOBRE NO CHILLA

Criado em 2005, o No Chilla é formado por oito músicos-percussionistas argentinos que têm a pesquisa de diferentes caminhos na improvisação e na composição sua principal marca. O grupo imprime seu jeito singular de tocar percussão e estruturar composições em músicas argentinas e latinoamericanas, resultando numa mistura de tradições com um som mais contemporâneo. A instrumentos mais tradicionais, como congas, djembé, surdo e moringa, No Chilla acrescenta à sua proposta instrumentos percussivos melódicos, como mbira, balafón, marímbula, kalimbas e trombe  instrumentos não convencionais e as próprias vozes.

 

SERVIÇO

 Show de lançamento do CD “Viamão”, de Sergio Pererê

Dia: 27 de agosto de 2016, sábado, às 20h 

Local: Teatro Flávio Império (Rua Professor Álves Pedroso, 600, Cangaíba, Zona Leste de SP)

Telefone: (11) 2621-2719

Classificação etária: Livre

 

ENTRADA FRANCA

Comments

Comentários