Coletânea com a história do Brasil contada por pessoas negras é lançada no youtube

0
3133
Imagem: Divulgação

O “Brazil, the untold story”, que é uma iniciativa multidisciplinar e cultural internacional e independente, preparou, em sua primeira edição, contribuições culturais, artísticas, religiosas e intelectuais das populações afro-brasileiras que ajudaram a construir o Brasil como Nação.

Brazil, the untold story é uma coletânea com cinco documentários que contam as histórias ainda não contadas do Brasil através da narrativa negra e lançou nesta quarta-feira (24) em seu canal do youtube.

Histórias que ainda não foram apropriadamente contadas por vozes negras tanto no Brasil, como no exterior e nas narrativas de produções culturais e intelectuais afro-brasileiras do sul do globo. O projeto multimídia, incluindo os cinco documentários e texto podem ser conferidos na plataforma digital.

O projeto é idealizado, produzido e dirigido por Everton Barreiro.

Para estrear, os cinco intelectuais, religiosos e artistas negros brasileiros Alba Darabi, Carlinhos Brown, Djamila Ribeiro, Maxwell Alexandre e Rodney William narram suas trajetórias pessoais e profissionais.

Os intelectuais, cada um em sua área, vão compartilhar reflexões, performances e vídeo arte sobre temas como o candomblé e o Candeal na Bahia, apropriação cultural, artes visuais, neo-colonialismo, racismo estrutural e outros preconceitos enraizados na história do país.

As histórias estão contados pelo link:

Documentários e texto: www.evertonbarreiro.com
Documentários: YouTube: EB Everton Barreiro
Instagram: @eb.evertonbarreiro

Histórias

Djamila Ribeiro – filósofa, escritora, professora e militante pelo feminismo negro – num raro momento de sua carreira, compartilha sua biografia desde a infância, conta como driblou a academia para pesquisar sobre feminismo negro e o sucesso de seu trabalho como escritora e editora da coleção Feminismos Plurais no Brasil e no mundo. A escritora reflete de maneira crítica sobre o feminismo hegemônico, neo-colonialismo e a esquerda institucional brasileira.

Alba Darabi – artista e ialorixá – explica no filme Candomblé, uma homenagem a sua trajetória, como a fome a distanciou do catolicismo e a fez se apaixonar pelo candomblé, resgata sua trajetória no teatro, registra seu lado mãe e sacerdotisa, além de fazer uma emocionante homenagem a filósofa Sueli Carneiro.

Maxwell Alexandre – artista visual – reconstrói sua trajetória disruptiva nas artes plásticas e reflete sobre três obras de sua autoria que influenciaram o início de sua prática nas artes visuais. O documentário transforma-se em um vídeo arte, onde o artista mostra a série performática, Corrida, que informa o seu período de isolamento causado pela pandemia. 

Rodney William – doutor em ciências sociais, antropólogo, escritor e babalorixá – narra sua trajetória até conquistar o doutorado, nos apresenta a Exu e mostra como o fenômeno da apropriação cultural está intrinsecamente ligado ao racismo estrutural, com reflexões críticas ao movimento da Bossa Nova e a intolerância religiosa.  

Carlinhos Brown – músico, cantor, compositor e artista multidisciplinar – desvenda a história da Bahia ancestral através do bairro do Candeal em Salvador, e explica como seu lado espiritual forjou sua veia artística. O artista reflete sobre o papel do Brasil no mundo, miscigenação cultural e racial, revelando sua obra como artista plástico e presenteando o documentário com sua música.

Comments