As histórias negras de São Paulo estão por toda a cidade, no centro e em todas as esquinas (inclusive na Ipiranga com São João, a mais famosa delas), apesar de muitas vezes não serem contadas.

O Diáspora Black oferece uma caminhada coletiva e afro-centrada, para se conhecer  lugares importantes da história dos negros na cidade, como é o caso da Igreja Nossa Senhora Rosário dos Pretos, a estátua da mãe preta, a Igreja Nossa Senhora dos Enforcados, do antigo Pelourinho e do antigo Morro da Forca, no bairro da Liberdade.

A caminhada começa no Bairro da Liberdade, um reduto negro nos séculos XVIII e XIX e termina no Largo do Arouche. Os personagens negros importantes da história — invisibilizados em vários espaços — são destacados, é o caso da escritora Carolina Maria de Jesus, do jornalista, advogado, poeta e patrono da abolição Luiz Gama e o arquiteto Joaquim Pinto de Oliveira, o Tebas. Também fazem parte das histórias a migração africana atual, a música e movimentos negros modernos.

O percurso é conduzido pelo jornalista Guilherme Soares Dias, pela relações públicas Luciana Paulino e também pelo fotógrafo e produtor cultural Heitor Salatiel.

O passeio, no dia 17 de março, tem um tempo estimado de 2:30h e tem nível moderado de dificuldade. O valor do evento é de R$ 50.

Mais informações: clique aqui

Comments

Comentários