Brasileiros no BET: Conversamos com Emicida, Djamila e Dricka

0
Brasileiros no BET: Conversamos com Emicida, Djamila e Dricka

Emicida e MC Dricka  foram indicados ao BET Awards 2021 nas categorias de Melhor Artista Internacional e Melhor Novo Artista Internacional, respectivamente.  Feito parecido aos dos artistas tinha sido de Djonga na versão de 2020 do prêmio.  Enquanto os artistas comemoram a possível premiação, a filósofa e escritora Djamila Ribeiro receberá homenagem no BET por sua atuação na luta pela igualdade racial e de gênero.

Imagem: Instagram

Para Emicida é mais uma conquista na carreira de um dos rappers mais influentes do nosso tempo. “Eu me conectei bastante com o BET ao longo da trajetória, mas fui surpreendido pela indicação, foi inesperado. Passei a vida inteira acompanhando o BET aí fui indicado e falam meu nome lá, eu pensei ‘nossa, parece que o jogo virou”, diz Emicida entre risos. Para Djamila, as notícias sobre pessoas pretas sendo reconhecidas amenizam em algum nível a sequência de notícias pesadas envolvendo a população negra. “Como diria Lélia Gonzalez, nosso legado não é só um legado baseado na dor. Geralmente a gente só é representado como objeto da repressão. Acho que a gente ter eu, Emicida, MC Dricka, nesse lugar de reconhecimento internacional tem uma força simbólica muito forte. Isso não vai mudar as estruturas, mas mostra que há outras possibilidades de existência e que essas possibilidades possam ser mostradas, exibidas e visibilizadas”, reflete Djamila Ribeiro, que tem visão parecida com a de Emicida: ”Minha trajetória é atípica, e essa atipicidade faz muitas vezes com que eu seja visto como um exemplo da possibilidade de vitória”, reflete o rapper que sabe que essas pequenas vitórias individuais não solucionam os problemas coletivos. “A gente precisa pisar no acelerador para que essas mudanças aconteçam com mais velocidade”, diz sobre as mudanças de mentalidade em relação às conquistas do povo preto”, diz o rapper.

Imagem: Helena Wolfenson

Fernanda Adriele, a MC Dricka, de apenas 21 anos,dona de hits como ‘Festa na Marina‘ e ‘Nós Tem Um Charme Que é Dahora‘, recebeu a notícia de que tinha sido indicada logo após acordar e quando soube da importância do prêmio não acreditou. “Eu falei ‘meu Deus! Nossa’. Já comecei a postar no feed”, conta a funkeira que é um fenômeno nas redes sociais”. Questionada sobre lançar música no Tik Tok, atual plataforma queridinha da internet, Dricka aponta os riscos de arriscar em um alvo só. “”Eu faço música para tocar em todo lugar. Não consigo compor uma música para uma coisa só. Se estourar no Tik Tok, amém, se não for tudo bem também. Ao mesmo tempo que o Tik Tok é bom para revelar vários artistas novos, ele é ruim por limitar muito o tempo das nossas músicas. Por isso eu procuro não focar a música a um único seguimento”, conta.

MC Dricka em propaganda na Times Square, em Nova York (Imagem: Instagram)

Em um mês que repercutiu casos de violência e racismo, o artista entende a importância de ver um homem preto virar notícia partindo de um lugar de não violência.Com fala sempre firme,mas calma, Emicida reflete sobre o momento sombrio em que o Brasil vive: “Nesse momento que a gente está vivendo é fundamental que a gente traga o amor Suplicy já lutou por isso, Jards Macalé já lutou por isso e acho que que o amor precisa voltar para o centro da bandeira nacional”, reflete sobre a frase que inicialmente faria parte da bandeira do Brasil, “O amor por princípio, a ordem por base e o progresso por fim”, de Auguste Comte.

“É importante que a gente possa estar nesses lugares, que disseram, historicamente, que não era para nós. Que a gente possa se sentir confortável nesses lugares, porque às vezes a gente não se sente confortável, não conseguimos celebrar nossas conquistas diante de tantas atrocidades porque a gente se sente ocupado por essa estrutura, mas pelo contrário, a gente ainda é vítima dessa estrutura e a gente também está aqui lutando contra ela. Mesmo num lugar de visibilidade somos atingidos e neste lugar de visibilidade a gente não deve esquecer das pessoas negras”, diz a escritora em uma fala que cabe à MC Dricka, recentemente tema de uma projeção do Spotify na Times Square, em Nova York. “Meu Deus, eu não saía nem na capa do kisuco, quando saí, saí na Times Square. Eu acordei e tinha um monte de gente me mencionando. Sempre assim, eu acordando. Eu fico trampando nas minhas músicas. fico até tarde no estúdio. Bom dia para quem acordou com a cara na Times Square. Chamei as pessoas mais importantes da minha vida para poder comemorar. Para mim foi surreal. Ainda mais no telão. Fiquei maravilhada”, conta a funkeira.

O BET Awards será transmitido no Brasil pela MTV Brasil no dia 27 de junho, ás 21h. A premiação será exibida também AO VIVO pela Pluto TV, serviço de streaming gratuito da ViacomCBS

SERVIÇO – BET Awards 2021
Exibido AO VIVO pelo canal BET, através do serviço gratuito de streaming Pluto TV e também pela MTV, no dia 27 de junho, às 21h.
20h – PRÉ-SHOW
21h – EXIBIÇÃO DA PREMIAÇÃO
00h30 – AFTER SHOW

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display