Após 25 anos, “Dança Naná”, da primeira Cia de Dança Contemporânea Negra, entra em cartaz no Rio

0
501
Foto: Wilton Montenegro

A Cia RubensBarbot, primeira companhia de dança negra contemporânea do Brasil, aos sons das músicas de Naná Vasconcelos, reestreia “Dança Naná”, uma releitura do primeiro sucesso internacional da companhia, que teve sua primeira apresentação em 1993. O espetáculo tem 25 anos de história e estará em cartaz em única apresentação no Sesc Nova Friburgo no sábado (11), às 19h. No Sesc Copacabana do dia 16 a 19 deste mês, às 20h e no Sesc Ramos também será única apresentação no dia 24, às 19h30.

“Dança Naná” traz os gestos, movimentos e imagens que surgem dos corpos nas danças tradicionais brasileiras e traduzidas nos corpos negros. Essa obra foi gerada a partir de um estudo específico sobre danças populares pertencentes à cultura brasileira, que teve a moldura musical de Naná Vasconcelos.

A coreografia tem 35 minutos e outras duas, também ícones dentro da história da companhia compõem o programa sendo na primeira parte: “A Nega”(1991) solo com Wilson Assis e “Nem Todos Somos Patinhos Feios” (2012), coreografia de Luiz Monteiro sobre um tema lançado por Elvio Assunção.

O espetáculo é dançante, alegre, bem-humorado e contagiante, tem direção de Gatto Larsen, no elenco: Ana Paula Dias, Carlos Maia, Carlos Mutalla, Eder Souza Martins, Wilson Assis e produção Beth Lopes. A coreografia é de Luiz Monteiro, que na primeira apresentação, há 25 anos, era bailarino, hoje assina a releitura da coreografia original de Rubens Barbot, criador da Cia Rubens Barbot, ícone da dança negra contemporânea e diretor do Terreiro Contemporâneo, espaço que é uma das
bases da arte negra carioca.

Para mais informações, ligue: Sesc Nova Friburgo / (22) 2543-5000, Sesc Copacabana / Telefone: (21) 2548-1088 e Sesc Ramos / (21) 2290-4003.

Comments

Comentários