ALendasz lança “Sonhadores na Zona da Morte”, disco que mistura rap com influências de reggae e afrobeat

0
220

 Lázaro de Souza Barbosa, conhecido pelo nome artístico de AlendaSz, lançou novo disco, “Sonhadores na Zona da Morte”, trazendo diversidade sonora às batidas do rap. O álbum possui 16 faixas e beats de DJ Felipe e Laraapio, da Produtora Bueiro75 e foi lançado na semana passada, 13 de maio.

O artista baiano apimenta as linhas de rima  com o pagode baiano, samba reggae, arrocha, afrobeat, tudo isso alinhado ao rap. Logo na faixa de abertura, “Sonhadores”, é possível captar algumas dessas influências, principalmente do reggae. Quatro músicas presentes no disco ganharão lyric video para o YouTube: “Oração”, “Vida à Fio”, “Envolvido” e “Agonia”, com material criado por Leandro Auleo. O clipe da música “My Baby”, carro chefe do projeto, está previsto para ser lançado no segundo semestre deste ano.  

Segundo o artista, “Sonhadores na Zona da Morte” aborda as diversas formas de existir, pontua os sonhos e adversidades de ser preto e periférico. Mostra que não é apenas sobre a morte, dor, perda, ausência e ódio. “O projeto vai contra os estereótipos impostos pela sociedade e revela uma demanda nesse circuito de sonhar e se manter vivo, é um chamado sonoro para a ação do povo preto”,afirma.

ALendasz (Imagem: Divulgação)

Sobre a insistente narrativa de apresentar corpos negros como unicamente existente para catalisar dor o artista explica que essa questão ajudou a decidir o nome do novo trabalho: “O nome do disco combina morte e sonho, na tentativa de falar das nossas coexistências, sobrevivências e, ao mesmo tempo, das criações que lá se fazem, das invenções culturais, afinal, é o que muito produzimos na Zona da Morte, apesar dos olhares, só querem ver por lá a morte e, com isso, apagar os sonhos. O disco e seu nome também é sobre o rap e sua desobrigação em termos de falar da gente, mas só de um ângulo, o da dor”, conta. 

O álbum apresenta  uma mesclagem entre músicas dançantes, boombap mais cru e algumas vezes pode remeter ao som da dupla Hot e Oreia. Em “Música Black” o rapper apresenta mais que um flerte com o arrocha, mas um mergulho no estilo, enquanto em ‘Subterrâneo’ poderia aparecer tranquilamente em um disco de Baco Exu do Blues.

“Sonhadores na Zona da Morte” pode assustar quando se pensa em 16 faixas, mas são faixas curtas, urgentes e necessárias. A cena baiana do rap tem um representante que merece atenção.

ALendasz escreveu complementares ao trabalho do álbum. Estão disponíveis no site do artista. Para acessar, clique no link: https://bit.ly/3fcnChH.

Comments