13 de Maio Nas Ruas: Manifestantes pedem o fim do Governo Bolsonaro e do genocídio da população negra

0
13 de Maio Nas Ruas: Manifestantes pedem o fim  do Governo Bolsonaro e do genocídio da população negra
Imagem: Coalizão Negra por Direitos

A Coalizão Negra por Direitos realiza, nesta quinta-feira, o ato “13 de maio de Lutas“, data que marca a assinatura da Lei Áurea, em 1888, e deu fim à escravatura no Brasil. Segundo a Coalizão, são 40 atos confirmados em todo o país, dois nos Estados Unidos e um na Inglaterra. Se espera a mobilização de aproximadamente 200 mil pessoas. Neste mês, no ano passado, a morte de duas pessoas pretas comoveram o país: a morte do menino João Pedro, de 14 anos, durante ação policial no Rio de Janeiro em 18/05 e a do norte-americano George Floyd (25/05), o que torna os atos ainda mais simbólicos.

Acre, Bahia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Distrito Federal E Rondôni estão entre os Estados que receberão os atos. O movimento também cobra as autoridades um auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia, o direito da população negra à vacina contra o coronavírus e o fim do governo Bolsonaro. O lema dos atos é “Nem bala, nem fome, nem Covid. O povo negro quer viver!”.

O professor de história pela PUC-SP, fundador da Uneafro Brasil e integrante da Coalizão Negra por Direitos, Douglas Belchior, conhecido como Negro Belchior disse que a chacina no Jacarezinho foi o pontapé para os grandes atos de hoje.”Teve o estopim de Jacarezinho que mostra a face explicita do racismo, com a violencia,morte e o coturno.Não tem vacina, mas tem chacina. No Jacarezinho tem movimentos da Coalizão e a nossa reação foi imediata”, afirmou o professor e ativista político.

Ao contrário do que costuma ser dito pela internet, Belchior desmente a suposta passividade do povo preto em face do genocídio diário perpetrado contra a população negra. “A classe media brasileira é menos suscetivel à mortes pretas do que nos Estados Unidos. Há um silenciamento do Movimento Negro , porque a gente reage à todas as mortes locais. A população reage, queima ônibus, bloqueia avenida, mas como isso é passado na TV? Não somos passivos como querem vender que nós somos, mas a mídia,a branquitude são perversamente racistas e não repercutem nossos atos.Hoje é o maior ato já convocado pelo Movimento Negro no Brasil e não há repercussão”, afirma. 

Atos em São Paulo (Imagem: Coalizão Negra por Direitos)

A orientação das organizações que lideram os protestos é que os participantes usem máscaras, de preferência a PFF2, higienizar as mãos com álcool em gel constantemente, se manter em local ventilado e manter distanciamento social seguro.

Imagem: Coalizão Negra por Direitos

A Coalizão Negra por Direitos reúne 200 organizações, grupos e coletivos do movimento negro brasileiro para promover ações conjuntas de incidência política nacional e internacional. As entidades definem estratégias para intensificar o diálogo com o Congresso Nacional e com instituições como a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre a pauta racial, além de fortalecer ações nos estados e municípios brasileiros nesse sentido.O

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display