Unicamp: Cotas facilitarão acesso de estudantes negros a partir de 2019

0
Unicamp: Cotas facilitarão acesso de estudantes negros a partir de 2019

O sonho de estudar em uma faculdade de prestígio e pública está cada vez mais possível para milhares de estudantes negros brasileiros. A Unicamp, segunda melhor Universidade da América Latina, aprovou na noite da última terça-feira,31, após uma longa sessão do Conselho Universitário (Consu), a proposta para a implementação de cotas raciais em seu vestibular a serem implementadas a partir de 2019. Na UNESP as cotas existem desde 2014 e na USP, alguns cursos como o de Direito também têm reserva de cotas para estudantes negros e indígenas.

A mudança no processo seletivo da Universidade de Campinas foi fruto da luta do movimento negro e estudantil que, além de irem as ruas, usaram as redes sociais para promoverem a campanha pró-cotas dentro da Unicamp.

Até o ator norte-americano Denny Glover aderiu ao movimento, mostrando em sua página do Facebook a necessidade de políticas públicas para diminuir privilégios e democratizar o acesso à educação.

Grupos de estudo irá aprimorar proposta aprovada

De acordo com texto aprovado no debate, o plano deverá preservar meta de 50% dos estudantes oriundos da rede pública – por curso e turno – e ainda buscar a meta de 37,5% de autodeclarados pretos, pardos e indígenas, segundo parâmetro do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no estado de São Paulo. Além disso, ela deverá ser complementada por critérios adicionais.

O grupo será presidido pelo coordenador executivo da comissão responsável por organizar o vestibular (Comvest), José Alves de Freitas Neto (Instituto de Filosofia e Ciências Humanas).

Além disso, a formação contará com outras 12 pessoas, entre eles, dois integrantes dos movimentos Pró-Cotas e Núcleo da Consciência Negra, três representantes do conselho, dois da comissão central de graduação, um servidor técnico-administrativo e um representante discente.Um grupo que ficará responsável por elaborar a proposta de implementação progressiva das cotas étnico-raciais a partir do vestibular 2019.

Entre eles estão os aprimoramentos do Programa de Ação Afirmativa (Paais), que concede bônus para estes dois grupos de candidatos nas duas fases do processo seletivo; e do Programa de Formação Interdisciplinar Superior (Profis), responsável por garantir uma vaga por escola de Campinas e utiliza o desempenho do candidato no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display