Será que se casam? Carolina e Hudson representam o amor preto no “Casamento às Cegas Brasil”

0
Será que se casam? Carolina e Hudson representam o amor preto no “Casamento às Cegas Brasil”
Imagem: Alisson Louback/NETFLIX

Brasileiro ama um reality show e o Casamento às Cegas, que estreou dia 6 de Outubro na Netflix é sobre romance, amor e a pergunta que ainda não tem resposta: o amor é cego?

Dos 16 casais participantes, só 10 saem noivos do experimento e mesmo sem nunca terem se visto antes do pedido de casamento, um casal negro se formou: a advogada Carolina Novaes e o empresário Hudson Mendes. Os dois são paulistas, ela tem 30 e ele 27.

Ainda nas cabines, fase inicial do experimento em que os casais conversam tendo entre eles uma parede, que impossibilita que eles se vejam, era possível ver a sintonia entre Carol e Hudson que tem em comum o amor pela família.

Foto: Reprodução

Enquanto o empresário vem de um lar com pai e mãe presentes, a advogada tem um relacionamento complicado com pai e foi criada pela mãe. “Se ele nunca foi nos meus aniversários, nas formaturas, porque vou chamá-lo para o meu casamento?”, argumentou Carol em um momento no reality. Para o seu noivo, o distanciamento de sua escolhida de seu pai seria uma pedra no sapato, o que não faz muito sentido.

Em uma parte do experimento, quando o casal fica uma semana em um resort para se conhecer melhor, algumas diferenças começaram a aparecer. Carol é assumidamente uma ativista do movimento negro e feminista. E mesmo sendo a única mulher negra “finalista” do programa, a advogada é firme em suas convicções como quando, por exemplo, ela questionou o garçom e perguntando por que servem o champanhe primeiro aos homens e não as mulheres.

“Ela fala muita coisa que eu não sabia”, disse Hudson mais de uma vez sobre os posicionamentos de sua noiva sobre as questões raciais. Já no ponto de vista do feminismo, os questionamentos de Carol não são vistos de forma tão amistosa.

Foto: Reprodução

Outra diferença entre o casal é o momento de suas carreiras. Enquanto Hudson parece ainda estar se encontrando, Carol atua em sua área, o Direito, e é presidente da Comissão da Igualdade Racial da Ordem dos Advogados do Brasil, em Pinheiros. Nesta quarta-feira,19, o programa termina exibindo os episódios finais onde saberemos se a Carol e Hudson se casam poucas semanas depois do primeiro encontro.  Ficando juntos ou não a verdade é que, individualmente os dois representaram bem a comunidade negra, mostrando consciência racial, respeito à família e suas origens e claro, esbanjando beleza e estilo.

Comments

No posts to display