Quilombo PcD divulga nota em apoio à jovem com deficiência intelectual preso sem provas

0
888

Diagnosticado com deficiência intelectual, Marcos Vinícius Souza dos Santos, de 19 anos, está preso no Centro de Detenção Provisória do Belém, na Zona Leste de São Paulo (SP), desde o dia 5 de fevereiro, acusado de assaltar um motorista de aplicativo e levar seu relógio, R$ 20 e uma aliança. A família acusa a Polícia Militar de ter se equivocado na prisão do jovem.

A família está destroçada, estamos sem vida, é como uma morte. Você pega uma criança desde os 18 dias de vida, cria com todo amor e com todo carinho, nunca tocamos um dedo nele, nunca levou um tapa e sempre educamos ele bem. Minha mãe não come, não dorme e está toda à base de calmante”, afirmou Renata Souza, irmã de Vinícius, ao portal NewsTv.

 Segundo o Boletim de Ocorrência, Vinícius foi reconhecido pelo condutor, junto com outros dois homens. Ainda de acordo com o Boletim de Ocorrência, Marcos Vinícius portava uma pistola Beretta no momento da prisão. O jovem, que tem idade mental de sete anos, de acordo com os familiares, foi adotado pela família com apenas 18 dias e desde a infância toma dois medicamentos controlados para evitar convulsões diárias.

Em nota o Coletivo Quilombo PcD declarou apoio ao jovem e pede pela liberdade de Marcos Vinicius; Confira a nota completa:

Nós, do Coletivo Quilombo PcD viemos por meio desta nota divulgar a #libertemovinicius. Em mais um caso onde jovens são responsabilizados por cometerem crimes apenas por serem negros o Marcos Vinícius Souza dos Santos, de 19 anos, foi preso no Centro de Detenção Provisória do Belém, na Zona Leste de São Paulo (SP), no dia 5 de fevereiro. A acusação é de que ele teria assaltado a aliança, o relógio e R$ 20,00 de um motorista de aplicativo. Entretanto o caso se revela como mais um de tantos em que o racismo estrutural pesa a sua mão. Pois mesmo o motorista não reconhecendo o Vinícius a polícia além de mante-lo preso registra em seu boletim de ocorrencia que o jovem foi preso em flagrante com mais outros dois cúmplices de menores portando uma arma. Versão esta que a família contesta alegando que Vinícius estava sozinho quando a polícia o abordou com violência no caminho da casa do seu tio para pegar a chave de casa e que se quer pediram o documento dele.
O fato é que a família que adotou o Vinícius com 18 dias de nascimento está devastada e muito preocupada com a saúde dele pois ele  faz uso de medicamentos controlados para evitar as convulsões diárias desde a infância. Sim, este crime não se registra apenas como racismo mas também se perfaz como capacitismo uma vez que Vinícius é Pessoa com deficiência intelectual e que segundo a família o mesmo tem idade mental de 7 anos de idade.
Até quando as pessoas pretas com deficiência -afropcd sofrerão com a invisibilidade das violências que as atravessam?
Nós cobramos às autoridades locais que agilizem com celeridade o caso e libertem Vinícius.  Seremos resistência e acompanharemos de perto todo o processo do nosso irmão afropcd.

Assinada por:

Marcelo Zig @afrodeficiente
Flavia Diniz @fladinizzz
@quilombopcd

Comments