Pesquisas apontam que negros estão mais sujeitos ao Alzheimer

0
Pesquisas apontam que negros estão mais sujeitos ao Alzheimer
Créditos: Nappy Images

O Alzheimer é uma doença progressiva que afeta a memória e outras funções mentais importantes, tornando difícil tarefas que antes eram fáceis, como realizar um pequeno percurso sem se perder ou administrar as contas do mês.

A Dra Thais Ferreira, neurologista pela UFF (Universidade Federal Fluminense), explica que a doença tem como principal fator de risco, a idade. No entanto, existem algumas outras questões que podem tornar mais fácil o seu surgimento. São elas: baixa escolaridade, diabete, hipertensão, sedentarismo, tabagismo e problemas com saúde mental.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Pesquisa), 7 em cada 10 pessoas com demência têm alzheimer, a maioria deles, negros. Isso acontece por que a população negra encontra-se em maior vulnerabilidade para os fatores de risco da doença. Vejamos:

A escolaridade média da população negra, é 1.3 ano menor do que a da população branca. No ensino médio, considerando jovens de até 19 anos, cerca de 58,3% dos alunos pretos conseguem concluir o curso -contra 75% dos alunos brancos. Isso, por que os alunos negros precisam parar de ir a aula para ajudar a família em casa, trabalhando. Acontece que estudar é como ”exercitar o cérebro”, o estimulando e assim fornecendo um reservatório de neurônios capazes de combater os efeitos do alzheimer. Entretanto, essa não é uma tarefa fácil para a população preta e parda, que logo no ensino fundamental tem acesso a escolas menos capacitadas e são de famílias em situação de vulnerabilidade social, não tendo condições com alguns gastos, por exemplo. Coisas assim, facilitam a reprovação do estudante e consequentemente levam a desistência do mesmo.

Além desse fator, estudos da Universidade Australiana de Queensland, UFPel (Universidade Federal de Pelotas) e UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) apontam que pessoas com alzheimer também tem mais chances de receber diagnósticos de diabete, depressão, Parkinson e AVC. É sabido, que o diabetes atinge os homens negros 9% a mais do que aos homens brancos. Entre as mulheres, as negras correm 50% a mais de risco de desenvolver a doença, em relação ás brancas. Também se sabe que doenças mentais tem uma influencia grande em casos de demência, e aqui podemos citar outro dado relevante: A Chance de um jovem negro cometer suicídio é 45% maior que a de um jovem branco. Logo, entendemos qual grupo sofre mais com essa questão, não é mesmo? O motivo, em grande parte se dá ao racismo, violência urbana, subemprego ou desemprego, acesso precário ao saneamento básico e etc.

Entre 2019 e 2020, a quantidade de pacientes negros que faleceram por demências aumentou 65%, enquanto o número subiu somente 9% para os brancos. Quando o diagnostico do Alzheimer chega, existem dois meios que se pode seguir: O medicamentoso, que impede que a doença evolua, e não medicamentoso, que funciona como uma tentativa de estimular o cérebro por meio de atividades como jogos, quebra-cabeças, caça-palavras, palavras-cruzadas e é claro, acompanhamento psicológico.

Portanto é importante frisar que o Alzheimer só é mais suscetível às pessoas negras por motivos político sociais, e não por questões biológicas ou qualquer coisa do tipo.

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display