Organização do concurso Miss Teen Earth diz que não houve racismo na penalização de Miss Bahia

0
243

Netto Santos, coordenador do concurso Miss Teen Earth nega que tenha havido racismo nos critérios de pontuação que penalizaram a modelo Thasilla Brandão em uma das etapas do concurso Miss Teen Earth. A modelo, de 18 anos, Miss Teen Bahia, Thasilla Brandão, de 18 anos, foi penalizada em uma etapa do concurso  Miss Teen Earth, realizado em São Paulo após discursar com fala sobre representatividade negra (noticiamos aqui), o que foi uma decisão  inesperada para a baiana. “Não passou pela minha cabeça que eu perdi o título por conta do meu discurso. Meninas de outros Estados também estavam torcendo por mim, que eu falei inglês. Isso já me deixou um pouco mais confiante”. Thasilla era favorita para levar o prêmio nacional. O coordenador do evento, Netto Santos reafirma o favoritismo da modelo baiana. “Ela era uma das candidatas mais cotadas em todo confinamento pela sua trajetória, empenho, inteligência e por todo seu preparo. Até outras candidatas a viam assim, o que realmente era. Em seu discurso final, por sinal foi lindo ela defender a causa negra (que também é minha causa por ser negro), ela fala que está lá para representar todas as mulheres negras da Bahia e do Brasil, e isso  é fantástico! Em análise dos jurados, que também concordaram com a sua posição, porém tecnicamente falando (concurso de miss), uma miss deve defender todas as causas, nesse caso, todas as raças. Esse ponto de vista não é meu e sim dos jurados que viram dessa forma”, disse ao Mundo Negro.

Netto Santos junto com apresentadora Bruna Finda do concurso Miss Teen Earth (Imagem: Miss Teen Earth)

A fala de Netto vai de encontro ao que a própria Thasilla já tinha dito. O administrador também nega que tenha havido racismo permeando os critérios de pontuação. “Temos em nosso concurso outra negra representando o RJ, um apresentador e coreógrafo, temos outra apresentadora e a nossa advogada também da cor negra. Então queria deixar bem claro que racismo não tem, nunca houve e nunca terá no nosso concurso que é um concurso internacional”, defende.

Thasilla disse ao Mundo Negro que foi chamada para o Miss Teen Earth pelo próprio Netto Santos, após ele ter visto a modelo em outro concurso, no qual ela já tinha citado que tinha como prioridade falar da causa negra, então ela não imaginou que essa seria uma razão de penalidade, ainda mais que o próprio Santos é negro, assim como parte do corpo de jurados. A miss também disse que ao enviar um vídeo para coordenação recebeu o feedback com o comentário “foco: representatividade”. Parabéns”. Segundo Thasilla, a  justificativa para a pontuação só foi revelada após sua mãe, Joseane Carla, ir perguntar sobre as premiações e por curiosidade ter perguntado as razões. Joseane esperava que a eliminação da filha fosse ser por razões ligadas ao traje ou ao desfile. “No meu discurso só a primeira frase foi para causa negra. O restante foi para todos. A Miss Universo ganhou o tpitulo falando só sobre a causa negra ganhou o título”, diz Thasilla.

Thasilla Brandão (Imagem: Instagram)

Após repercussão do caso, a organização diz ter oferecido o título principal que seria para ela representar o Brasil em competição estrangeira, devido a desistência da vencedora que por motivos particulares abdicou o título. E por regra, a terceira colocada ocuparia o cargo, mas não foi aceito. A modelo diz que a organização só se posicionou sobre sua participação no lugar da vencedora após repercussão da polêmica, uma vez que ela alega que já era sabido que a candidata que venceu tinha deixado explícito que não seguiria competindo após o concurso. “Para mim foi como se eles querendo me comprar por causa de tudo que aconteceu, para acalmar a mídia, porque até então eles não tinham postado nenhuma nota”, aponta.

Perguntado sobre quais seriam os critérios técnicos usados pelos jurados para penalizar, Netto Santos respondeu: “Eu não diria penalizar, até mesmo porque ela ficou em terceiro lugar entre tantas candidatas, e a repercussão se deu por ela não aceitar a sua colocação e expor da forma que foi. Qualquer “tribo”, (me desculpe se uso o termo errado), a defenderia da forma que foi. Todos os jurados eram jurados técnicos, pessoas capacitadas e que entendem do mercado. Tínhamos o preparador da miss do maior concurso do mundo, o Miss Universo, o qual sua miss que ficou em segundo lugar no último dia 16 de maio, nos Estados Unidos. Tínhamos outros preparadores brasileiros e internacionais, estilistas e consultores de moda. Os critérios se baseiam na vivência e experiência desses jurados no mundo miss”, explicou.

Sobre as premiações não entregues, Santos explicou que houve um problema  devido ao fechamento da fábrica que produz a faixa para as candidatas, mas que serão entregues ainda este mês. Thasilla diz que houve consternação entre várias candidatas e que o resultado foi questionado pelas outras modelos. “Juntamente com meu advogado e equipe estamos em busca da justiça, que entreguem as premiações que foram prometidas e que eles cumpram o contrato. Foi um desrespeito comigo e com as outras candidatas pelo fato de não cumprir aquilo que tinha escrito e assinado. Não posso aceitar um título para esse ano depois de tudo o que aconteceu, passei 1 mês para assimilar  tudo e decidir o que iria fazer porque eu realmente não estava bem”, desabafa.

Além de modelo, Thasilla é professora de balé e de inglês e a carreira de miss foi uma forma de chegar a mais pessoas, ajudando-as de várias formas, com ações sociais.”Por isso faço faculdade de biomedicina, quero entrar no mundo da estética avançada e fazer com outras pessoas se sintam bem com a sua estética. Além de fazer parte de alguns projetos que ajudam pessoas do sertão e crianças com necessidades especiais”, revela.

Imagem: Instagram

Netto enfatiza que o concurso tenta mudar e acertar conforme a mudança de tempos, e que os critérios nunca foram raciais. “Gostaria também se possível que falasse do nosso apreço e carinho pela Miss Bahia, que ela faz parte da família do concurso e que em momento algum deixaríamos ela desamparada, tanto é que a oferecemos o título maior do concurso com despesas de hospedagem de 5 dias, alimentação, transfer na cidade onde irá acontecer o concurso, passeios em pontos turísticos entre outras itens que fazem parte da etapa internacional do concurso”, conclui.

Comments