O que aprendemos com Paulo André e Douglas Silva, finalistas do BBB 22

0
O que aprendemos com Paulo André e Douglas Silva, finalistas do BBB 22
Foto: Reprodução / Instagram.

O Big Brother Brasil 22 chega à sua reta final com dois homens negros finalistas, pela primeira vez na história do programa. Agora, o atleta Paulo André Camilo e o ator Douglas Silva disputam o prêmio de R$ 1,5 mi ao lado de Arthur Aguiar. Mas além do feito histórico e de estarem, agora, entre as dez pessoas negras que já chegaram à final do BBB, PA e DG deixaram muitas outras marcas com suas passagens no programa.

O respeito, carinho e a afetividade que estabeleceram entre seu grupo de amigos demonstrou, em rede nacional, que os esteriótipos associados a homens negros como brutalidade, falta de afetividade, e tantas outras falácias associadas a meninos e homens negros no país servem ao único propósito de perpetuar uma imagem negativa dos homens pretos.

Desde antes de entrar no programa, a relação de Douglas Silva e sua filha, expressada em inúmeros vídeos nas redes sociais já deixavam explícito que ele era um cara que valia a pena conhecer mais de perto. O desejo de Douglas de se deixar ver em sua verdade diz muito sobre as armadilhas e condenações que a que o racismo condena pessoas pretas diariamente. Por que um ator, internacionalmente conhecido, o primeiro brasileiro indicado ao Emmy precisaria recorrer a um reality show para ter visibilidade? Porque ser muito qualificado no que faz não é o bastante no Brasil racista.

O mesmo se estende a Paulo André. O atleta levou o Brasil de volta a competições e pódios onde não estava desde a década de 90. Com uma carreira brilhante, precisou recorrer ao reality porque a regra também vale para ele: só ser excelente na sua área de atuação, não basta. E aí, se alia a isso, para além da sua negritude, a falta de políticas governamentais de apoio ao esporte, por exemplo.

O fato é que de toda maneira, os dois chegam vitoriosos e triunfantes à final do BBB deste ano com uma trajetória marcada por honestidade, generosidade e afeto. Construíram em torno de si um grupo pautado em relações de amizade, afeto e cuidado, palavras que frequentemente não são associadas a homens parecidos com eles.

Mas, da mesma forma que milhares de homens negros fazem diariamente no Brasil e no mundo, foram em busca de uma vida melhor e de reconhecimento para eles mesmos e suas famílias. Famílias, aliás, que têm se orgulhado de suas trajetórias e valorizado, a cada passo o esforço destes dois nesta empreitada no programa.

Qualquer resultado que seja diferente da vitória de um destes dois hoje, revela que o modelo de votação do BBB está falido e com os dias contados. Mas, sem dúvida nenhuma, os dois se coroaram vencedores desta edição, mostrando a quem consegue perceber que masculinidade preta e afetividade frequentemente andam de mãos dadas.

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display