O Complexo de Branco Salvador nos filmes de Hollywood

0
O Complexo de Branco Salvador nos filmes de Hollywood

Em linhas gerais, o “salvador branco” é uma pessoa branca que resolve os problemas de um personagem não-branco, problemas estes que não poderiam ser resolvidos pelo personagem por conta própria.  O salvador branco geralmente acaba por fazer uma jornada de autoconhecimento que termina com o mesmo resgatando minorias étnicas de seu cruel destino, este tipo de filme é feito para que pessoas brancas se sintam bem a respeito da forma que encaram minorias marginalizadas. Isso acontece em filmes como “Green Book” e “The Help”

Um exemplo clássico é essa cena do filme “Estrelas Além do Tempo” quando Al Harrison (personagem de Kevin Costner) heroicamente derruba as placas de sinalização que dividia pessoas negras e brancas nos banheiros femininos da NASA.

O personagem de Kevin ainda permite a Katherine que ela acesse a sala de controle para assistir o lançamento do foguete que ela ajudou a criar. O problema? Isso não aconteceu, o personagem é inventado e a verdadeira Katherine Johnson relatou ter assistido o lançamento de sua mesa.

“Green Book” (citado no começo do texto) foi um dos filmes mais criticados pela comunidade negra nos Estados Unidos e por figuras como o cineasta Spike Lee por promover uma visão branca a respeito do racismo. Já no caso de “Histórias Cruzadas”, a própria Viola Davis falou sobre ter se arrependido de ter feito principalmente porque o ponto de vista das empregadas não foi considerado pela produção.

A Narrativa de “White Savior” se tornou muito popular durante a era dos direitos civis onde ativistas negros lutaram contra a segregação racial nos Estados Unidos, os filmes no entanto, atribuíam essa luta a protagonistas brancos. Neste contexto, vale assistir “To Kill a Mockingbird”.

O grande problema é que a mídia acaba por reforçar uma representação das relações raciais onde a bondade, empatia, reflexão, coragem e outras características positivas acabam sendo consideradas inatas a pessoas brancas. Além disso o protagonismo negro (ou não-branco) é apagado, reduzido e quase na maioria das vezes as histórias verdadeiras são distorcidas, colocando como centro da narrativa personagens brancos em detrimento de personagens não-brancos.

É importante que Hollywood propicie outras narrativas e histórias a pessoas não brancas, fugindo desse ciclo de intermináveis estereótipos que limitam possibilidades dentro e fora da tela.

Alguns exemplos de filmes que se enquadram nessa categoria:

Histórias Cruzadas (2011)
Green Book (2019)
Um Sonho Possível (2009)
Duelo de Titãs (2001)
Diamante de Sangue (2006)
To Kill a Mockingbird (1962)
Mentes Perigosas (1965)
The Girl With All The Gifts (2016)

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display