Durante concurso, Miss denuncia brutalidade policial na Nigéria

0
Durante concurso, Miss denuncia brutalidade policial na Nigéria

Participando do Miss África na Rússia, modelo Victoria Chiamaka Udeh desfilou com uma bandeira da Nigéria com uma facha vermelha nela, para simbolizar o sangue dos jovens de seu país e denunciar a brutalidade policial nigeriana. 

A estudante e modelo nigeriana tinha a intenção de usar a plataforma Miss África Rússia para fazer uma declaração sobre as manifestações de brutalidade anti-policial que abalaram seu país em outubro passado e que culminaram com o disparo das forças de segurança contra manifestantes desarmados no pedágio de Lekki, para relatar sobre os jovens que perderam a vida durante os protestos #EndSars na Nigéria, no ano passado.

“Eu me senti como ‘agora eu não me importo com o que os juízes pensam sobre o que estou fazendo.’  O que importou para mim foi usar a plataforma que a Miss África Rússia me deu para passar uma mensagem “, disse Udeh, 23, à CNN de Stavropol, sudoeste da Rússia, onde está estudando medicina.

Em um vídeo do evento de 13 de junho que se tornou viral nas redes sociais, Udeh é visto no palco vestido com as cores verde e branco da Nigéria e segurando uma bandeira vermelha. Ela disse que a faixa simboliza o sangue de jovens manifestantes que perderam suas vidas no ano passado.

“Eu fui para a competição para vencer … Eu queria vencer. Mas chegar a Moscou … vencer não importava mais para mim. Eu só queria retratar e criar consciência sobre o que aconteceu no dia 20 de outubro de 2020,  e a recente situação de insegurança na Nigéria “, complementou ela.

A participação no concurso de Miss África na Rússia foi motivada primeiro por seu desejo de “quebrar estereótipos de beleza”, disse Udeh. Contudo, Victoria não aguentou ver jovens lutando pela melhoria de seu país e não lutar com eles, mesmo sendo de uma forma diferente. 

Segundo informações da CNN, um painel judicial – organizado pelas autoridades locais – tem investigado relatos de brutalidade policial e da violenta repressão contra os manifestantes #EndSars pelo exército.

Udeh disse que sua declaração não foi uma tentativa de manchar a imagem do país.

“Fiz isso por uma boa causa. Precisamos estar seguros em nosso país e não perder vidas todos os dias. Foi apenas um apelo ao governo nigeriano para tratar das questões de segurança do país”, disse ela.

Miss África Rússia é um concurso de beleza realizado todos os anos na Federação Russa para promover a cultura africana e capacitar as mulheres africanas que vivem no país.

Udeh não venceu a competição, mas foi classificada como a melhor na categoria “escolha do povo” pelos organizadores.

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display