Mirtes Souza, mãe de Miguel, vai cursar direito para que ‘não sejam injustiçados como eu’

0
4593
Foto: Mariana Pekin

A mãe do menino Miguel e ex-empregada doméstica, Mirtes Souza, se preparam para começar a graduação no primeiro semestre de 2021. “Acabei escolhendo o direito porque senti na pele as injustiças e a morosidade do sistema”, disse ela.

Miguel tinha 5 anos quando faleceu ao cair do 9º andar do prédio de luxo em que Mirtes trabalhava como empregada doméstica, no Cais de Santa Rita, Centro do Recife/Pernambuco. O luto pela morte do filho a deu determinação para começar uma nova carreira, além da força para enfrentar os preconceitos diários e ameaças que recebeu na internet.

Para Mirtes, a violência vai ainda além da morte do filho – é uma experiência diária de injustiças. “Hoje mesmo fui atacada no Instagram. Uma pessoa criou uma conta fake e saiu comentando em todas as minhas postagens, ofendeu até as pessoas que estão me seguindo”, contou ela.

A mãe de Miguel é uma das homenageadas do Prêmio Viva, que tem o objetivo de reconhecer aqueles que tentam mudar o cenário da violência que atinge meninas e mulheres no Brasil.

A ex-empregada doméstica, falou, ainda, que tenta buscar alegrias após a morte de seu filho. Mirtes relatou que em alguns dias está bem e outros está mal, mas em todos os dias, continuará com sua luta pensando sempre em seu filho.

A graduação de Mirtes vai ser feita de forma presencial, a partir do primeiro semestre de 2021. Além da torcida de seus familiares e amigos, Mirtes, falou que sente, no coração de mãe, o orgulho do filho pela decisão de se tornar advogada.

Comments