“Meu filho não teria um título e houve o medo dele nascer escuro” Em conversa com Oprah, Meghan Markle fala sobre a realeza

0
29114
Imagem: Reprodução/ A CBS Primetime Special

Na primeira entrevista desde que Meghan Markle e o marido, príncipe Harry, anunciaram os planos de se afastar de cargos importantes na família real britânica, a atriz se descreveu como a vítima de um Palácio de Buckingham obcecado por imagem, que pesava em tudo, desde o “quão escura” seria a cor da pele do filho Archie até a frequência com que ela almoçava com os seus amigos.

Meghan revelou na entrevista com a jornalista Oprah que sentia-se tão solitária dentro da família real que, muitas vezes, pensou em acabar com sua dor pelo suicídio e que não entendia o motivo dela não ter tido ensinos sobre a cultura do país, como Kate e Diana tiveram, e o motivo dela sempre sair como “vilã” para a imprensa do Reino Unido.

“Eu estava realmente com vergonha de dizer isso na época e com vergonha de ter que admitir para Harry, especialmente, porque eu sei quantas perdas ele sofreu. Mas eu sabia que se não dissesse, eu o faria – e eu simplesmente não queria mais estar viva”, disse ela.

Imagem: Reprodução/ A CBS Primetime Special

O príncipe Harry, de 36 anos, e Meghan Markle, de 39, concederam a entrevista exclusiva à Oprah Winfrey. O papo começou a ser transmitido exatamente às 20h do horário de Washington D.C., capital dos Estados Unidos, e às 22h do horário de Brasília neste domingo (7).

Na entrevista, Meghan, que está em sua segunda gravidez, anunciou que estava esperando uma menina e revelou alguns motivos de ter tomado a decisão, em conjunto com o seu marido, de se desvincular da família real.

A conversa começou com a entrevistadora falando “Parecia um conto de fadas, uma nova era da monarquia. Até que eles decidiram sair da monarquia. E pela primeira vez eles falam a sua versão da história”, diz Oprah ao iniciar a reportagem especial.

Meghan falou, logo no inicio, que não queria uma cerimônia grande em seu casamento, mas era obrigatório o ter na realeza, e que, ao conhecer a rainha Elizabeth ela foi “amável e adorável”. Disse ainda que, as pessoas da corte real são diferentes de seus cargos e sempre as lhe trataram muito bem, mas isso mudava ao envolver o título que elas carregavam.

Antes do casamento real, o casal fez uma cerimônia íntima, só ela e Harry, no quintal de casa e após isso disse o quanto se sentia solitária vivendo com a família real.

 “A gente queria nosso casamento para gente. Só a gente no nosso quintal”, contou.

“Não vou viver minha vida com medo. Não sei como que eles podem esperar que depois de todo esse tempo iríamos ficar silenciosos se eles perpetuam mentiras a nosso respeito. Eu perdi meu pai, eu perdi um bebê. Já perdi tantas coisas, mas eu estou de pé. As pessoas têm de saber que existe outro lado e que a vida vale a pena ser vivida”, completou.

Durante a gravidez de seu primeiro filho, Meghan falou que descobriu que ele não receberia um título na família real e pensou “a primeira criança de cor desta família não receberá o título de príncipe, não entendo o motivo”.

Quando Harry e Meghan se casaram, a rainha Elizabeth deu ao casal os títulos de duque e duquesa de Sussex. No entanto, durante a sua gravidez, Meghan foi informada que o filho não receberia o título real de Príncipe.

A duquesa afirmou que Archie não ter Príncipe no nome foi uma decisão da família real. “Não sabíamos que era um menino, que era o Archie e eles disseram que não queriam que ele fosse um príncipe, que ele não receberia segurança. Isso no final da gravidez. Ele não seria um príncipe ou princesa, isso afetaria a segurança dele. Se soubéssemos, a gente teria criado toda uma proteção em volta dele”, contou.

Imagem: Reprodução/ A CBS Primetime Special

Não tem explicação, não tem versão. Eu ouvi  muito pelo Harry, Foi uma decisão que eles acharam que era apropriada. Ele ser chamado de príncipe era importante. Se isso significasse que ele estaria seguro, sim. A ideia do meu filho não estar a salvo. O primeiro membro de cor dessa família não ter recebido o título. Não é direito deles tirar isso. Durante a minha gravidez que eles resolveram mudar a convenção. Não foi nossa decisão, apesar de eu não ter claridade do que vem com o título, e apesar da mina experiência de dor, não pediram para gente fazer a foto com o Archie como parte da tradição. Vocês podem dizer ao mundo que vocês tiraram o título dele e não nos pediram para fazer a foto (como Diana e como Kate)”, desabafou.

Após esse trecho, Meghan revelou que “Nos meses quando eu estava grávida, [disseram] ele não terá o título, não terá segurança. E tiveram muita preocupação da cor da pele do bebê”, Oprah então a questionou “eles tinham medo que seu filho fosse muito escuro?”

A duquesa então respondeu que não dirá o nome da pessoa que iniciou essa conversa na família real, mas sim, o medo de que Archie fosse ‘escuro’ perpetuava por lá.

“Eu sou canadense. Sou uma mulher de cor. Sei da importância da representatidade. Alguém que se parece como você nessa posição é um reflexo do mundo. Em todas as épocas, mas especialmente agora”, acredita.

Após isso, a entrevistadora e o casal falaram sobre a saída da família real, suas obrigações diante o título de Harry e viagens que precisavam ser feitas antes de se desvinculares do título. Meghan afirmou que senti-se bem mais livre após sair do palácio e que vive com seu marido, filho e cães.

Comments